Empresário xinga PM: 'Merda que ganha R$ 1 mil por mês enquanto ganho R$ 300 mil'

em alta
01.06.2020, 13:12:19
Atualizado: 01.06.2020, 13:21:41
(Reprodução)

Empresário xinga PM: 'Merda que ganha R$ 1 mil por mês enquanto ganho R$ 300 mil'

'Não queria mostrar mostrar o vídeo ao meus filhos', disse o policial ofendido

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O empresário Ivan Storel, de 49 anos, foi preso na última  sexta-feira (29), no Condomínio Alphaville, bairro nobre de São Paulo, após agredir verbalmente e ameaçar a esposa. Uma equipe Polícia Militar foi acionada e, ao chegar no local, os soldados foram também foram vítimas da fúria do agressor.

“Você é um bosta. É um merda de um PM que ganha R$ 1 mil por mês, eu ganho R$ 300 mil por mês. Quero que você se foda, seu lixo do caralho. Você não me conhece. Você pode ser macho na periferia, mas aqui você é um bosta. Aqui é Alphaville, mano”, disse Storel a um policial militar que tentava se aproximar. O empresário se recusava a conversar com o agente.

De acordo com a PM, foi a própria esposa do empresário acionou a equipe após uma briga entre o casal.

“Não pisa na minha calçada, não pisa na minha rua. Eu vou te chutar na cara, filho da puta”, berrava o empresário.

O PM solicitou reforço ao Comando de Grupo Patrulha, que, ao chegar no condomínio, prendeu Storel. Ele foi conduzido para a Delegacia de Defesa da Mulher.

No local, o caso foi registrado como desacato, desobediência, ameaça, injúria e violência doméstica. Após a queixa, o empresário foi liberado para voltar para casa.

'Surpresa'
O policial ofendido foi o Cabo Edson, que participou do programa 'Encontro com Fátima Bernardes', da TV Globo, para comentar o caso. O PM disse que não esperava que a situação tomasse grandes proporções.

"Infelizmente, já tinha me deparado com ocorrências semelhantes, mas não nessa proporção. Foi uma surpresa. [...] Nem sei como esse vídeo chegou nas redes sociais, mas chegou. Repercutiu de uma forma muito estrondosa. Não quis mostrar para a minha esposa e nem para os meus filhos porque não sabia como seria a reação deles", disse.

Sobre o comportamento durante o confronto, Edson afirmou:

"Recebi muita mensagem de apoio e de parabenização. Cabe ressaltar que esse tipo de comportamento da Polícia Militar é normal, porque nós somos treinamentos para confrontos nesse nível ou até pior [...] Nós temos que treinar isso para dar um bom atendimento ao cidadão. Recebi elogios, mas recebi também críticas. Quem me conhece, sabe que sou assim, independente do lugar", ponderou.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas