Escultura de 'gordinha' que caiu é reinstalada com reforço de estrutura

salvador
04.06.2019, 21:39:00
(Foto: Divulgação)

Escultura de 'gordinha' que caiu é reinstalada com reforço de estrutura

Como ainda resta pintura a ser feita, estátua segue isolada no local

A estátua Mariana, 'gordinha' do conjunto As Meninas do Brasil que caiu no mês de maio, foi recolocada no local, nra Praça Eliana Kertész, em Ondina, com a estrutura da base recuperada e reforçada. A troca da estrutura metálica chumbada em uma base de concreto foi feita pela Superintendência de Conservação e Obras Públicas (Sucop).

Agora, ainda resta à Fundação Gregório de Mattos (FGM) fazer o restauro da pintura, que será realizado no próprio local. Por conta disso, a escultura está isolada. A peça sofria com oxidação da estrutura de sustenção e tombou durante um período de chuvas e ventos fortes.

O diretor de Execução de Obras da Sucop, José Monteiro, diz que além de Mariana a estátua Catarina também teve a base trocada e terá a pintura reforçada. Já Damiana, que foi retirada do local antes, por conta das obras de drenagem durante a obra de requalificação da orla de Ondina, está com a estrutura da base intacta e não precisará de reparos.

O conjunto de esculturas As Meninas do Brasil foi fundida em bronze sobre base de concreto. De autoria da artista plástica Eliana Kertész (1945-2017), a peça foi implantada em 2004 e homenageia três etnias matrizes do Brasil: a negra, a branca e a índia. Cada uma delas foi posicionada de modo intencional em direção aos três continentes do globo: Damiana encara o mar em direção à África, Mariana olha para Portugal e Catarina para a América.


***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas