'Estamos muito decepcionados com o rendimento', admite Roger

e.c. bahia
28.11.2019, 08:59:20
Atualizado: 28.11.2019, 10:53:25
Roger Machado se decepciona com empate com o Atlético-MG, na Fonte Nova (Felipe Oliveira / EC Bahia)

'Estamos muito decepcionados com o rendimento', admite Roger

Técnico do Bahia avalia empate com o Atlético-MG e postura do torcedor na Fonte Nova

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O técnico Roger Machado não escondeu a própria frustração após o empate em 1x1 com o Atlético-MG, na noite de quarta-feira (27), na Fonte Nova. O tropeço em casa ampliou o jejum de triunfos no Brasileirão. Já são nove rodadas sem vencer no campeonato.  

"Estamos decepcionados com parte do nosso segundo turno, que nos permitiu sonhar com a Libertadores. É a frustração do torcedor, o que deixa ele chateado e motiva cobranças. (...) Eu entendo, está frustrado. Nós também estamos muito decepcionados com o rendimento que estamos tendo, com os resultados que não estamos conseguindo", afirmou Roger Machado.

"Jamais posso lidar com um grupo pela falta de interesse, motivação. Pode faltar jogo, isso sim, mas outros elementos, não. Tenho certeza que o torcedor protesta não pela falta de empenho, mas do bom futebol que jogamos até bem pouco tempo atrás", opinou.

O treinador tricolor comentou a atitude de parte da torcida, que protestou durante quase o jogo todo. "O torcedor tem 100% de direto de cobrar, sem dúvida. Não vou entrar no mérito da cobrança, até porque, talvez, se eu estivesse no lugar do torcedor, com muitos jogos sem vencer e tendo, anteriormente, gerado uma expectativa muito grande... O que estamos vivendo hoje é resultado de expectativa gerada pelo grupo. Protesto é natural, normal do futebol", afirmou.

Roger, porém, fez questão de destacar que a maior parte dos torcedores que foram à Fonte Nova repreendeu os outros que estavam protestando durante a partida. "O que tenho que louvar, e poucas vezes vi na minha carreira como jogador e treinador, é justamente a parte maior do estádio que não estava de acordo com manifestações apoiar. Sem dúvida, vou levar para a vida toda porque não é corriqueiro isso acontecer".

Roger lamentou o resultado e avaliou que o time merecia sair de campo vitorioso diante do Atlético-MG. A equipe mineira saiu na frente, com Cazares, e Élber igualou o marcador. 

"Se a gente analisar, não merecíamos sair com a derrota, nem com o empate. Jogamos suficiente para vencer. Só que qualquer resultado diferente da vitória é péssimo. É trabalhar o emocional do atleta para que ele sinta confortável no jogo. É final de temporada, não há mais o que fazer. Se vencermos os três jogos, vamos fazer a melhor campanha do clube no campeonato e o torcedor vai ficar feliz. A frustração vem da expectativa e o grupo também está decepcionado", disse.

O Bahia volta a campo no domingo (1º), quando visita o CSA, às 18h, no estádio Rei Pelé, em Maceió. Com 45 pontos, é o 10º colocado. O time alagoano soma 29 pontos e ocupa a 18º posição, praticamente já rebaixado.

"A receita para que que a gente volte a vencer é manter o foco, empenho, trabalhar o que for possível, mudar o que for possível. Não abri mão de fazer mudanças que julguei necessárias para voltar a vencer. Não surtiu efeito, mas temos mais três jogos ainda pela frente, jogos importantes", pontuou Roger Machado. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas