Estudantes fazem manifestação na porta do Odorico Tavares

salvador
24.01.2020, 17:08:00
Atualizado: 24.01.2020, 17:58:39
(Betto Jr/CORREIO)

Estudantes fazem manifestação na porta do Odorico Tavares

Protesto é contra o fechamento do colégio, anunciado pelo governo em dezembro de 2019

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Estudantes, ex-alunos e simpatizantes do Colégio Estadual Odorico Tavares, no Corredor da Vitória, em Salvador, estão fazendo uma manifestação na porta da escola, na tarde desta sexta-feira (24). O motivo do protesto é pressionar o governo para desistir do plano de vender o prédio em que funcionava a escola.

Com faixas e cartazes, eles pediram mais diálogo por parte da Secretaria da Educação e acusaram o governo de fazer uma política de sucateamento do Odorico Tavares, além de de ceder às investidas da especulação imobiliária.

O grupo se concentrou na calçada do colégio por volta das 15h e policiais militares acompanham a manifestação do outro lado da rua. O colégio foi fechado com tapumes depois que um grupo de cerca de 30 pessoas ocupou o espaço no início da semana. Eles abandonaram o local cerca de 10h depois. Professores e alunos disseram que esse isolamento do prédio nunca havia acontecido, nem mesmo durante o carnaval.

(Betto Jr/CORREIO)
(Betto Jr/CORREIO)
(Betto Jr/CORREIO)
(Betto Jr/CORREIO)

Nesta sexta, um dos estudantes usou o espaço para dizer, através de uma pichação, que o colégio foi "embalado para a especulação". Outra frase dizia que "quem fecha escola abre prisão". Alguns motorista que passam pela região buzinam em solidariedade, e pedestres param alguns minutos para observar o que está acontecendo.

O governo do estado argumenta que a demanda de matrículas era baixa e que, por isso, essas e outras escolas do estado estão sendo encerradas e os estudantes transferidos para outras unidades. Os professores negam, e dizem que a Secretaria adotou uma postura de esvaziamento desses centros de ensino e pedem mais diálogo no processo.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas