Ex-Bahia, Edson ainda não conseguiu sair da Ucrânia: 'Humilhação'

e.c. bahia
27.02.2022, 16:42:00
Edson atuou em 45 partidas com a camisa do Bahia (Felipe Oliveira/EC Bahia)

Ex-Bahia, Edson ainda não conseguiu sair da Ucrânia: 'Humilhação'

Depois de 'quase quatro dias sem tomar banho' na tentativa de entrar na Polônia, ele agora tenta cruzar fronteira da Hungria

O volante Edson, que estava no Bahia até o início da atual temporada, ainda não conseguiu deixar a Ucrânia. Em meio à invasão russa ao país, o jogador tentou várias vezes entrar na Polônia, mas foi barrado consecutivamente. Agora, a tentativa é de cruzar a fronteira com a Hungria.

Em publicação feita às 20h49 da Ucrânia (tarde de domingo em Salvador), o volante relatou estar perto da fronteira com o país do Leste Europeu. A ideia é entrar no local e, depois, regressar ao Brasil. Edson deixou a cidade de Lviv, onde joga pelo Rukh Lviv, ao lado de Talles Brenner, ex-Fluminense e Vila Nova, e de Jéssika Ariani, namorada de Talles, na quinta-feira (24).

"Galera, estamos no caminho para entrar na Hungria. Estamos a aproximadamente 4km da fronteira, e mais ou menos 6km da cidade da Hungria. Nas próximas horas, conto novidades. Estamos com uma brasileira no carro dirigindo, uma das pessoas responsáveis por ajudar os brasileiros que estão na Ucrânia", postou Edson.

"Só temos que agradecer por essas pessoas que moram aqui na Europa que estão fazendo o possível e impossível para nos ajudar", continuou.

Grupo tentará, com ajuda de brasileira, entrar na Hungria
(Foto: Reprodução)

Edson chegou à Ucrânia há dois meses, para atuar pelo Rukh Lviv. O clube é sediado na cidade de Lviv, no Oeste do país e a 469 km de distância da capital Kiev. O volante deixou o local na quinta-feira (24), e seguiu em busca de refúgio na Polônia. Os brasileiros fizeram parte do percurso a pé, mas, na fronteira, foram barrados. 

No sábado (26), o ex-Bahia havia narrado mais um dia de tentativas frustradas de entrar na Polônia.

"Só nós sabemos o que estamos passando esses dias aqui, cada humilhação, desaforo, nãos que a gente vem tomando uma hora vamos ser honrados. Tô com muito orgulho da nossa força e coragem pra enfrentar isso tudo", publicou Edson em foto com os amigos, às 5h20 deste domingo (27), pelo horário da Ucrânia.

Relato do ex-Bahia sobre as tentativas de entrar na Polônia
(Foto: Reprodução)

"A cada oportunidade que temos de sair vibramos iguais crianças, mesmo sabendo que não temos certezas. Tenho fé que nossa hora vai chegar e vamos estar sorrindo com nossos familiares e amigos", completou o jogador, que também narrou dias de fome e privação de sono.

"Estamos indo para o quarto dia sem sequer tirar o tênis do pé, dá para acreditar nisso? Sim, quase quatro dias sem tomar banho, sem dormir em uma cama, apenas cochilos em alguma cadeira. Somente hoje (sábado) comemos algo mais constante que foi um peito de frango, outros dias era só chips de batata e biscoito recheado", escreveu.

"A ignorância aqui na fronteira é muito grande, vocês não têm noção, tudo é motivo pra gritar com estrangeiros", seguiu o jogador.

Edson fez questão de agradecer o "apoio de familiares, todos amigos, aos consulados de outros países que estão nos procurando pra ajudar e a todas as pessoas do mundo que está tentando ajudar a gente".

O volante, de 23 anos, atuou pelo Bahia por três temporadas antes de ir ao Rukh Lviv, no início deste ano. Ele chegou ao Esquadrão em 2019, para fazer parte do time de transição. Ganhou destaque e passou a integrar o elenco profissional. Inclusive, fazia a pré-temporada com o grupo treinado por Guto Ferreira, mas foi negociado diante da investida do Rukh Lviv.

Ao todo, Edson disputou 45 partidas com a camisa tricolor e faturou dois títulos: Campeonato Baiano de 2020 e Copa do Nordeste de 2021.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas