F-150: picape mais vendida nos EUA é confirmada no Brasil

autos & etc
30.04.2022, 16:00:00

F-150: picape mais vendida nos EUA é confirmada no Brasil

Além disso, Volkswagen atualiza o Jetta e a Land Rover muda o motor do Defender
Picape é a campeã de vendas nos Estados Unidos há 45 anos

Desde que a Ford mudou sua estratégia para o mercado brasileiro, era esperado o anúncio da chegada de seu produto de maior sucesso global: a F-150.

Picape mais vendida nos Estados Unidos há 45 anos e líder total do mercado naquele país desde 1981, o utilitário está confirmado para estrear no Brasil em 2023.

“A F-150 vem para consolidar a nossa linha, ao lado da Ranger e da Maverick, e reafirmar a autoridade que a Ford construiu em picapes em todo mundo”, afirmou Daniel Justo, presidente da Ford América do Sul.

A F-150 fica posicionada acima da Ranger

Com mais de 40 milhões de unidades produzidas, a picape, maior que a Ranger, já é comercializada na Argentina, Chile, Colômbia, Equador e Peru.

O fabricante não revelou quais serão as versões que irá importar, mas aposto no luxo da configuração Lariat (como a que está expondo na Agrishow, em Ribeirão Preto) e na esportividade da Raptor.

Atualmente, apenas a Ram atua nesse mercado de picapes grandes, que em breve vai ganhar também companhia da Chevrolet Silverado.

AJUSTES NA PROPULSÃO
Inicialmente, a Land Rover importou a nova geração do Defender apenas com motor 2 litros a gasolina, que apesar de potente não satisfazia o SUV de mais de duas toneladas.

Agora, a marca britânica está ajustando sua estratégia para o mercado brasileiro com a introdução de uma propulsão turbodiesel, que substitui a opção a gasolina.

A nova geração do Defender começou a ser comercializada com motor diesel

Essa motorização é chamada pela Jaguar Land Rover de D300, é um seis cilindros em linha com 3 litros que produz 300 cv de potência e 66,3 kgfm de torque. Ele faz parte da mesma linha Ingenium do motor a gasolina e traz também um sistema híbrido-leve de 48 volts para auxiliar no consumo.

A transmissão continua sendo a automática ZF de oito velocidades, que trabalha em conjunto com uma caixa de transferência com reduzida.

São três versões para o 110, com carroceria de quatro portas, e uma para o 90, com duas portas. O 110 custa inicialmente R$ 725.950 (D300 HSE) e chega aos R$ 800.950 (D300 X). O 90 custa R$ 708.950 na configuração D300 HSE.

POLO AUTOMOTIVO
Atualmente o único polo automotivo do Nordeste, a operação da Fiat e Jeep em Goiana, Pernambuco, está completando sete anos.

Desde sua inauguração, foram produzidos mais de 1,2 milhão de veículos e agora se comemora o marco de fabricação de 350 mil unidades produzidas do Jeep Compass.

A fábrica da Stellantis em Pernambuco completou sete anos

Mais de 13 mil pessoas trabalham no Polo, considerando a planta Stellantis e o Parque de Fornecedores instalado no mesmo perímetro industrial, formado por 16 empresas. Deste efetivo, cerca de 90% são nordestinos, sendo mais de 85% pernambucanos.

Além do Compass, são produzidos lá os Jeep Commander e Renegade e picape Toro, da Fiat.

SÓ UM DE CADA
Em clima de final de ciclo, dois veteranos da Volkswagen estão sendo oferecidos em apenas uma configuração na linha 22/23.

O hatch Gol, um dos modelos de maior sucesso da indústria brasileira, e o sedã Voyage contam apenas com a opção de motorização 1 litro (que rende até 84 cv) e transmissão manual de cinco velocidades.

O Gol custa a partir de R$ 74.150 e o Voyage parte de R$ 85.770.

SEDÃ ESPORTIVO
Com o mercado de sedãs em baixa, a Volkswagen mudou sua tática no mercado brasileiro em relação ao Jetta. Pelo menos no momento, a empresa só está importando do México a configuração esportiva do carro, a GLI.

E o veículo recebeu algumas atualizações, estéticas, na mecânica e também tecnológicas. No visual, alterações na grade frontal, para-choques e novas rodas diamantadas de 18 polegadas.

A configuração esportiva do Jetta é a única oferecida no Brasil

No interior, destaque para o volante redesenhado e a nova central multimídia, a VW Play, que foi projetada no Brasil. Sob a carroceria, mudança na transmissão: o câmbio automatizado de duas embreagens passou de seis para sete velocidades.

O motor 2 litros turbo foi enquadrado no Proconve PL7 e produz 231 cv de potência. Custa R$ 216.990.

FALTA DE CHIPS
O atraso na entrega de semicondutores continua refletindo nas linhas de produção, com paralisações em vários fabricantes.

De acordo com um levantamento da LMC Automotive, deixaram de ser produzidos no Brasil 107 mil veículos pela falta de componentes eletrônicos.

APESAR DA CRISE
A Toyota registrou em março seu recorde de produção mensal global. Foram 866.775 veículos fabricados, o maior número de unidades produzidas pela empresa japonesa em apenas um mês.

MUDANÇAS NO UBER
Para atender a uma solicitação de longa data dos parceiros, a Uber resolveu mostrar o destino e preço final da corrida antes de o motorista aceitá-la.

Transparência é sempre bem-vinda, mas desagradou quem paga a conta: os passageiros, que relatam dificuldades e esperas ainda maiores por corridas, principalmente as mais curtas.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas