Feira de Santana: 218 funcionários da prefeitura receberam auxílio indevidamente

bahia
21.05.2021, 16:52:00
(Divulgação)

Feira de Santana: 218 funcionários da prefeitura receberam auxílio indevidamente

163 deles pertencem ao quadro das secretarias de Educação e Saúde

A prefeitura de Feira de Santana descobriu que 218 funcionários receberam indevidamente o auxílio emergencial pago pelo Governo Federal. O valor pago na pandemia era destinado a cidadãos de baixa renda.

A descoberta ocorreu com o fim de uma sindicância instaurada pela gestão municipal, que deu início à apuração em setembro do ano passado. O documento aponta que 163 dos funcionários que foram beneficiados irregularmente pertencem ao quadro das secretarias de Educação e Saúde.

De acordo com o secretário de Administração, José Marcondes de Carvalho, a sindicância recomendou ainda que seja aberto um processo administrativo disciplinar contra 73 dos 218 funcionários, por entender que eles podem ter cometido improbidade administrativa.   

Os outros 145 também também serão alvos de processos administrativos, mesmo sem indícios de improbidade, mas pela sindicância entender que a situação merece uma apuração mãos aprofundada sobre os motivos que levaram a receber o auxílio.

Investigação
A sindicância foi instaurada por determinação do prefeito Colbert Martins. O mandatário recebeu uma lista do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) apontando suspeitos de receber indevidamente o auxílio emergencial.

“Estamos cumprindo uma obrigação de apurar a suspeição, para detectar os culpados e os inocentes, e aplicar as punições previstas em lei. Quem recebeu o auxílio  devidamente, evidentemente que pode ficar tranquilo”, comentou o prefeito.    

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas