Fiat nega participação em projeto de montadora na Bahia

economia
04.04.2019, 06:00:00
Atualizado: 04.04.2019, 13:43:06

Fiat nega participação em projeto de montadora na Bahia

Detentora da marca Jeep no mundo, Fiat não pretende construir nova fábrica nem produzir veículos militares

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A Fiat Chrysler Automóveis Brasil (FCA) contestou a informação de que a marca estaria envolvida na instalação de uma montadora de veículos militares na Bahia para a fabricação do modelo J8, que seria montado sobre módulos importados do Jeep Renegade. Segundo o responsável pelas relações com a mídia da Fiat, Roberto Baraldi, não há nenhuma relação da multinacional com a VSK Tatical, responsável pelo projeto que prevê investimentos de R$ 200 milhões no estado. 

“A gente não está entendendo o que eles estão falando. Na fábrica em Pernambuco são produzidos 200 mil veículos por ano, com capacidade instalada de 250 mil. Ou seja, além do que já produzimos temos ainda nesta mesma unidade capacidade de expandir a nossa produção. A detentora da marca Jeep é a Fiat. Há um grande equívoco aí. O jurídico está analisando o que deve ser feito”, disse ao CORREIO.

O presidente executivo da VSK Tatical no Brasil, Marcellus Ferreira Pinto, justificou que o negócio é fruto de uma parceria entre o governo americano e o exército brasileiro: “Existem vários veículos na família. Não vamos ficar rebatendo a Fiat. Ela está certa em todas as declarações. O acordo é entre governos”.

A VSK Tatical lançou o projeto de construção da fábrica, na última terça-feira (02), durante a LAAD Defence & Security 2019 (Feira Internacional de Defesa e Segurança), que acontece no até sexta-feira (05), no Rio de Janeiro. 

Os municípios de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), e Feira de Santana estão sendo analisados para a implantação da unidade, que deve produzir, inicialmente,  60 veículos por mês. A Casa Civil do governo do estado confirmou que recebeu uma proposta sobre a implantação de uma fábrica de veículos militares no estado e que o pedido está sendo estudado.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas