Flipelô movimenta Pelourinho entre 8 e 12 de agosto; programe-se

variedades
24.07.2018, 14:22:00
Atualizado: 10.08.2018, 02:33:56
Primeira edição do evento aconteceu em agosto do ano passado e levou diversas atrações ao Pelô (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Flipelô movimenta Pelourinho entre 8 e 12 de agosto; programe-se

Festa literária, que homenageará João Ubaldo Ribeiro, foi lançada oficialmente nesta terça-feira (24)

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Quando o escritor baiano Jorge Amado (1912-2001) se foi, seu grande amigo, o escritor itaparicano João Ubaldo Ribeiro (1941-2014), declarou que tinha ficado órfão. É que o romancista o ensinou que “a amizade é o sal da vida”. E é justamente sobre esse amor genuíno entre os dois grandes nomes da literatura baiana que Festa Literária Internacional do Pelourinho, a Flipelô, vai se debruçar esse ano.

Flipelô terá como tema o amor entre Jorge e João Ubaldo Ribeiro
(Foto: Divulgação)

Realizada pela Fundação Casa de Jorge Amado (FCJA), a segunda edição da festa acontece de 8 a 12 de agosto, no Pelourinho, e fará uma grande homenagem a João Ubaldo. Também trará reverenciará Zélia Gattai(1916-2008) e Myriam Fraga (1937-2016), duas das mais relevantes personalidades culturais diretamente ligadas à trajetória de vida de Jorge.

Evento de lançamento da Flipelô aconteceu nesta terça (24) e contou com patrocinadores e representantes da prefeitura de Salvador e do governo da Bahia
(Foto: Marina Silva/CORREIO)

Com 62 horas de programação gratuita e mais de 120 atrações nos cinco dias de evento, a Flipelô deve receber cerca de 50 mil pessoas, que transitarão em 13 espaços do Centro Histórico de Salvador – Largo do Pelourinho, Largo Quincas Berro D´Água, Teatro Sesc Senac, Arena Sesc Senac, Casa 12 (com a livraria oficial do evento - LDM), Casa das Editoras Baianas, Café Teatro Zélia Gattai, Galeria Solar Ferrão, Museu Eugênio Teixeira Leal, Casa 47, Igreja do Rosário dos Pretos, Faculdade de Medicina e Terreiro de Jesus, onde será montado o Espaço Infantil e estarão as bibliotecas móveis.

Além de 122 nomes locais, com escritores como Mabel Velloso, Paloma Amado, Lilia Gramacho, Florisvaldo Mattos e Ruy Espinheira Filho, e artistas como Jackson Costa, Lazzo Matumbi, Juliana Ribeiro, Moraes Moreira e Márcia Short, participam do evento três escritores internacionais. O angolano Gociante Patiss, por exemplo, estará na mesa de debate Com os Pés na África na sexta-feira (10), às 20h, no Teatro Sesc-Senac. A escritora africana Rutendo Tavengerwei, do Zimbábue, recebida será recebida pela historiadora baiana Luiza Reis na quinta (9), às 18h, no Teatro do Sesc-Senac.

Revelação literária do Zimbábue traz romance Esperança para Voar para Salvador
(Foto: Divulgação)

Também estarão no evento 45 escritores nacionais. "Priorizei autores do Norte do país. A ideia é mostrar um pouco do que está acontecendo na literatura nacional para além do eixo Rio-São Paulo", destacou um dos curadores da Flipelô, o poeta José Inácio Vieira de Melo.

A mesa de abertura da Festa, que terá como tema Escravidão e Liberdade, reunirá a antropóloga Lilia Schwarcz e os historiadores João José Reis e Walmyra Albuquerque. O encontro será no dia 8 de agosto, às 18h, no Teatro Sesc-Senac.

A antropóloga Lilia Schwarcz participa da mesa de abertura da festa, no dia 8
(Foto: Divulgação)

Em seguida, às 20h, o concerto afro-barroco Flipelô faz as honras do evento sob o comando de Mateus Aleluia e o bonde musical, no Largo do Pelourinho. “Jorge Amado dizia que a maior riqueza da Bahia é essa mistura e essa diversidade. Em Salvador e em Cachoeira, as pessoas dormem com os atabaques dos terreiros e acordam com os sinos das igrejas e dos cantos gregorianos”, explicou o jornalista e diretor artístico do show, Sérgio Siqueira. A programação completa da Flipelô pode ser conferida abaixo ou no site www.flipelo.com.br.

O jornalista Sérgio Siqueira dirige o concerto de abertura da festa
(Foto: Marina Silva/CORREIO)

Mesas de debates, bate-papos com crianças, jovens e adultos sobre os mais variados tipos de literatura, lançamentos de livros, saraus de poesia, slam, programação infantil com contação de história, e diversas atividades lúdicas marcarão esta edição. 

Marilene dançou com dois desconhecidos na festa

Primeira edição do evento aconteceu em agosto do ano passado e levou diversas atrações ao Pelô
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Segundo Angela Fraga, diretora da FCJA, a festa busca promover uma verdadeira ocupação cultural no Centro Histórico. "Num momento em que enfrentamos tandas adversidades, a Flipelô traz representatividade e festeja não só os livros e a literatura, como a amizade fraterna entre Jorge e João, e nos leva novamente para o Pelourinho, local tão importante para Jorge. A Flipelô é a prova de que a nossa sociedade gosta e clama por literatura", afirmou, durante lançamento realizado nesta terça-feira (24), no Hotel Pestana Convento do Carmo. 

(Foto: Marina Silva/CORREIO)

O bairro se transformou em uma espécie de cartão de visitas de Salvador muito por conta da literatura do escritor, traduzida em dezenas de línguas e adaptada em diversas produções audiovisuais. Inspiração e cenário de livros como Pastores da Noite e A Morte e A Morte de Quincas Berro D’Água, o Pelourinho chegou a ser definido por ele como o “coração da vida popular baiana”. Por isso, pela segunda vez, o ladeiras, casarões e largos devem pulsar de um jeito diferente nesses dias. "Honramos nosso patrono, que foi um grande amante do Pelourinho, trazendo vida ao bairro", acrescentou o presidente da FCJA, Arthur Guimarães Sampaio.

O presidente da FCJA, Arthur Guimarães Sampaio, disse que a Flipelô é também uma grande homenagem a Jorge Amado, que nasceu dia 10 de agosto
(Foto: Marina Silva/CORREIO)

Emília Ribeiro, filha de João Ubaldo Ribeiro, marcou presença no lançamento oficial da festa e emocionou-se ao falar sobre a amizade entre o pai e Jorge. "Quando Jorge faleceu, em 2001, meu pai disse que tinha ficado órfão três vezes na vida: uma quando Glauber Rocha morreu; a segunda, quando meu avô se foi e a terceira com Jorge. É uma imensa felicidade ter meu pai como homenageado. Meu pai tinha uma amizade fraterna e bonita com Jorge e guardo isso na memória até hoje. Espero que a gente vivencie essa festa literária e se deixe envolver por esse amor proporcionado pela literatura, amor fraterno que meu pai e Jorge tinham um pelo outro", afirmou.

Filha de João Ubaldo, Emília Ribeiro contou que guarda boas lembranças do pai com Jorge Amado
(Foto: Marina Silva/CORREIO)

Também para celebrar a amizade e os encontros da vida, a escritora Paloma Amado, filha de Zélia Gattai e Jorge Amado, participará do bate-papo Comendo Palavras, na sexta (10), às 19h, com Mabel Velloso e a cozinheira Dadá, sobre os gostos do pai e de João. No mesmo dia, a obra de João Ubaldo será discutida no Com a Palavra o Escritor, às 16h, no Museu Eugênio Teixeira Leal, com os poetas e acadêmicos Ruy Espinheira e Florisvaldo Mattos, mediados pela escritora Antônia Herrera. "Também será emocionante participar da mesa de debate em homenagem ao querido João Ubaldo no sábado (11), no Teatro Sesc Senac Pelourinho, às 20h", pontuou Paloma.

(Foto: Marina Silva/CORREIO)

Gastronomia e descontos
Novidade da festa, a Rota Gastronômica Amados Sabores contará com a participação de 20 restaurantes do Centro Histórico. Eles vão fazer pratos com preços especiais e receitas inspiradas no livro A Comida Baiana de Jorge Amado, de Paloma Amado. Confira os restaurantes, pratos e preços da Rota.  

Nas ruas, monitores cuidarão da orientação ao público, que poderá comprar com descontos em 58 lojas da região, sinalizadas com uma flâmula na fachada onde está escrito Estou na Flipelô.

A segunda edição do evento também conseguiu parceria com a Elitte Taxi, que dará 20% de desconto para todos os passageiros que se dirigirem à Festa Literária. Para aproveitar o benefício, basta usar a senha ESTOU NA FLIPELÔ. Além disso, dois estacionamentos da Delta Parking - o que fica na Avenida JJ Seabra, 190 - Baixa dos Sapateiros (Praça das Artes) e o da Rua Inácio Accioly, 18 (Largo Pedro Arcanjo), vão cobrar tarifa única nos cinco dias de evento. Para ter acesso ao benefício, é preciso solicitar um selo em um dos locais credenciados – Chocolates Marrom Marfim, loja da Fundação Casa de Jorge Amado, Livraria Oficial da Flipelô, Casa das Editora s Baianas, bilheteria da Arena e do Teatro Sesc-Senac e restaurantes participantes da Rota Gastronômica.

Para os visitantes que vem de fora, o evento conseguiu 15% de desconto nas passagens da LATAM e 60% de desconto na locação de veículos na Unidas. Além do Pestana Convento do Carmo, hotel oficial da Festa Literária, mais nove hotéis, pousadas e hostels oferecerão tarifas especiais para participantes do evento.

Importância para a Bahia
Durante o lançamento oficial do evento, o secretário de Cultura de Salvador, Claudio Tinoco, lembrou que 2017 foi o ano de colocar em prática o projeto antigo. "Já esse ano é sinônimo de consolidação e expansão. O Pelourinho vai estar cheio. Não tenho dúvida que, tão logo, essa será a maior feira literária do Brasil. Porque só a Bahia e Salvador têm essa força tão grande", afirmou. O presidente da Fundação Gregório de Mattos, Fernando Guerreiro, acrescentou que a Flipelô já nasceu internacional "porque leva o nome de Jorge Amado". 

Representando o prefeito ACM Neto, Claudio Tinoco falou que esse é o ano de consolidar e expandir a feira literária
(Foto: Marina Silva/CORREIO)

A secretária de Cultura da Bahia, Arany Santana, destacou que o evento fortalece não só a literatura baiana e nacional, como a própria economia do estado: "Aquece e movimenta o Pelourinho e o estado como um todo. É muito importante para a cultura da Bahia e também para aquecer o comércio local".

Para Arany Santana, a Flipelô tem também um papel econômico muito forte
(Foto: Marina Silva/CORREIO)

Representando a Rede Bahia, o diretor executivo de televisão João Gomes selou a parceria com o evento. "É um prazer enorme firmar essa parceria novamente. É uma excelente oportunidade de aproveitar esse momento em que a cidade está em evidênciaa - com a visibilidade da novela Segundo Sol - para colher ainda mais frutos para o Pelourinho e para Salvador. Algumas pessoas vão vir para saber onde fica a casa de Beto Falcão (protagonista da novela), mas certamente é uma oportunidade única de alavancar essa festa, que, por levar o nome de Jorge Amado, já é internacional", destacou.

O diretor executivo de televisão da Rede Bahia, João Gomes, selou a parceria com o evento
(Foto: Marina Silva/CORREIO)

Também marcaram presença na ocasião a diretora-geral de Gestão do Centro Histórico, Eliana Pedroso; o diretor da Fundação Pedro Calmon, Zulu Araújo; a escritora Mabel Veloso e patrocinadores.

Diretora-geral de Gestão do Centro Histórico, Eliana Pedroso, pediu apoio dos empresários para as próximas edições do evento
(Foto: Marina Silva/CORREIO)

A Flipelô 2018 conta com o patrocínio do Ministério da Cultura, Instituto CCR, Banco do Nordeste do Brasil e TPC Logística, por meio da Lei Rouanet, e da Bahiagás. O evento tem ainda o apoio da CCR Metrô e do Shopping da Bahia, corealização do Sesc, produção da Sole Produções e realização da Fundação Casa de Jorge Amado (mantida com apoio do Fundo de Cultura do Estado da Bahia). 

Ao CORREIO, Mabel contou como será sua participação na feira. Assista. 

Programação completa da Flipelô

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas