Fuzuê reúne famílias e forma novos foliões

salvador
15.02.2020, 16:14:33
Fanfarras e grupos culturais já estão fazendo a festa Circuito Orlando Tapajós (Ondina/Barra) (Foto: Agatha Gameiro/ Saltur)

Fuzuê reúne famílias e forma novos foliões

Desfile que resgata astral dos antigos carnavais segue pela Avenida Oceânica no circuito Tapajós; amanhã (16) tem Furdunço

Tem de tudo: princesas, príncipes, palhaços e mascarados. E, principalmente, as famílias. O Fuzuê, que leva fanfarras, neste sábado (15) pelo circuito Tapajós, é quase uma reunião familiar.  

E as crianças são as protagonistas. No bloquinho criado há três anos, pela dona de casa, avó e tia Vilma Facchi Neto, 63, elas são as foliãs e até as motoristas dos trios - estruturas improvisadas com um metrô de altura, sobre a qual desfilam as crianças. Neste ano, Vilma e os parentes construíram até um carro de apoio.

Joga suas tranças de mel, Rapunzel (foto/Betto Jr.)

Acima dos carrinhos, as crianças brincavam, mascaradas e vestidas com mortalhas. “Sou do tempo de fanfarra, é o que gosto”, disse ela, que teve a ideia de vestir as crianças de mortalha para relembrar os velhos carnavais. Hoje, oito crianças e 30 pais, mães, tias e tios participam da festa.

As próprias atrações rdo Fuzuê elembram os velhos carnavais e reforçam a ideia de juntar famílias. Pelo circuito, as crianças pulam e cantam, enquanto outras, menores, são levadas ainda no braço ou nas costas dos pais. “O primeiro Carnaval dele foi ainda na barriga da mãe. Depois, aos quatro meses, ele já tava aqui, no canguru [malha que junta a criança ao corpo do responsável]”, disse o oficial de Justiça Hebert Santos, 28, sobre Hebert Júnior, 4, que, sobre os ombros do pai, gritava que queria tirar foto com um palhaço.

Grupos de amogos e familiares se juntam para animar o Carnaval da criançada no Fuzuê (foto/Fernanda Lima)

A folia começou muito antes do seu início oficial, às 16h. Às 14h30, os primeiros a saírem foram os 200 ciclistas fantasiados que formam o grupo Bike Fuzuê. Eles fazem parte do Fuzuê desde o início, em 2015. Às 15h30, as fanfarras e bandas de sopro e percussão começaram a se organizar na fila. Não há uso de quitamento eletrônico e todo o desfile é no chão. 

Hoje, há fanfarras e grupos que se reúnem justamente para celebrar a presença das famílias no circuito. O Fuzuê do Tio Paulinho, por exemplo, desfila desde 2018. Depois da Bike Fuzuê, e da Banda Da Guarda Municipal, foram eles quem, às 16h, entraram na avenida. “Na verdade, o que me estimulou é que aqui tem um tema do Carnaval das famílias”, disse Tio Paulinho.

Enquanto o bloco afro de Capoeira, do bairro de Canabrava, acertava os últimos detalhes, Lara, 6 anos, que começou no Carnaval aos 3, brincava com o primo, Felipe. Os dois devidamente vestidos com a camisa do bloco. “Gosto da brincadeira”, disse Lara Ferreira, antes de desfilar na comissão de frente do bloco.

A mãe de Lara contou que o dia é mais tranquilo e escolhe o Fuzuê para evitar tumulto. Mas não deixa de adotar alguns cuidados. “A gente fez uma carteirinha de identificação, coloca uma identidade com ela e explico tudo: onde ela mora, o nome do pai da mãe e o telefone”, explicou ela. “Ela sabe até o telefone de cor”, brincou a técnica de enfermagem.

Agentes do Conselho Tutelar distribuem, durante a festa, pulseiras de identificação dos pequenos.

O oficial de Justiça Hebert Santos e o filho Hebert Júnior, que só queria foto com o palhaço (foto/Fernanda Santana)

Festa de gerações

O Fuzuê também é um encontro de de gerações familiares. Uma oportunidade de reviver tradições. Nas calçadas e na balaustrada das orla Barra-Ondina, encontramos o casal Everaldo Lessa, 67, e Vera Lúcia, 56, junto com a filha, Luciana Lessa, 38. Há três anos, eles curtem juntos o Furdunço e o Fuzuê. 

“É menos bagunça, a gente fica vendo as bandinhas passarem, seguimos quem queremos”, contou Luciana.

Os mais velhos aproveitam o clima dos velhos carnavais para formar novos foliões. Na descido do Morro do Gato, o estreante Mães Festeiras reuniu mãe, pais e crianças de três anos. O bloquinho - cercado de cordas para não perder de vista nenhuma delas - é formado por colegas de escola. 

“É um encontro de gerações é uma oportunidade para juntar todo mundo. Uma das mães pensou em fazer alguma coisa no Carnaval e escolhemos o Fuzuê para poder vir”, contou a psicóloga Ticiana Monteiro, 33, mãe de Guilherme. 

Ciclistas de várias partes da cidade serviram como abre-alas para o desfile (foto/Fernanda Santana)

Ciclista folião

Quem pedala também preparou sua fantasia para o Fuzuê. Pelo 5º ano, Bike Fuzuê desfilou Circuito Orlando Tapajós (Ondina/Barra) abrindo o caminho para as fanfarras. Segundo a coordenadora do Movimento Salvador Vai de Bike (MSVB), Liana Oliveira, cerca de 70 bicicletas participaram da pedalada que teve inicio na Praça do Sol (em frente ao Colégio Isba), em Ondina até o Farol da Barra. 

“É uma coisa super emocionante. A gente sente muito orgulho em ter esse destaque e ver temas como sustentabilidade, mobilidade e também a prática de esportes inseridos no Carnaval”, afirmou Liana. 

Ciclistas de várias partes da cidade vieram em comboio aproveitar a folia, como destaca ainda a coordenadora: “Veio gente pela Via Expressa, Magalhães Neto, muitos grupos da Cidade Baixa, Ribeira e do Imbuí também”, completa. 

A cada pedalada, muita irreverência. Os ciclistas fantasiados concorreram a brindes no concurso de melhor fantasia Bike Fuzuê 2020. O traje vencedor vai voltar para casa com outra bicicleta novinha. “O pessoal caprichou muito. Eu acho que esse ano teve as melhores fantasias. Teve gente, por exemplo, que veio de Pipoca, Guaraná e Netfix. A gente leva a mensagem e vive ainda esse lado lúdico”, opinou Liana. 

O palhacinho garantiu a alegria da criançada (foto/Betto Jr.)

Hoje (15) ainda desfilam no Fuzuê grupos a Fanfarra BBG, Banda Big Show, Caretas de Cairu, Fuzuê Junino, Gravata Doida, Grupo Cultural Bambolê, Banda Show Laroyê e os Cangaceiros de Ipitanga.

E amanhã (16), a partir das 16h, é a vez do Furdunço que tem entre as atrações BaianaSystem, Quabales, Val Macambira e Mula Ruge, Armandinho Dodô & Osmar, Araketu e Kart Love. Confira a programação completa e acompanhe também a cobertura no site do CORREIO. 
 

(Foto: Agatha Gameiro/ Saltur)
(Foto: Agatha Gameiro/ Saltur)
(Foto: Agatha Gameiro/ Saltur)
(Foto: Agatha Gameiro/ Saltur)
(Foto: Agatha Gameiro/ Saltur)
(Foto: Agatha Gameiro/ Saltur)
(Foto: Betto Jr.)
(Foto: Betto Jr.)
(Foto: Betto Jr.)
(Foto: Betto Jr.)
(Foto: Betto Jr.)
(Foto: Betto Jr.)


O CORREIO Folia tem o patrocínio do Hapvida, Sotero Ambiental, apoio institucional da Prefeitura Municipal de Salvador e apoio do Salvador Bahia Airport e Claro.


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas