Grupo faz festa com Ferraris durante a quarentena e causa revolta em São Paulo

coronavírus
05.05.2020, 11:43:38
Atualizado: 05.05.2020, 13:27:43
(Foto: Reprodução)

Grupo faz festa com Ferraris durante a quarentena e causa revolta em São Paulo

'Se fossem fuscas ninguém reclamava', defendeu-se organizador do evento que também reuniu Lamborghinis e Porsches

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um grupo de amigos resolveu promover uma festa de aniversário para cerca de 20 pessoas com carros importados no último domingo (03) na cidade de Bertioga, litoral de São Paulo. A aglomeração revoltou tanto os vizinhos quanto os internautas, visto que o encontro de carrões foi postado nas redes sociais.

Segundo o G1, a comemoração ocorreu em uma residência no bairro de alta classe Riviera de São Lourenço. Lamborghini Huracan Performante Spyder, Ferrari 458 Spider, Ferrari Itália, Porsche 911, Porsche Boxter S, Porsche Panamera Hybrid e Mercedez CLS 63 AMG são alguns dos carros das pessoas que foram à festinha.

Os amigos possuem um perfil no Instagram, onde compartilham fotos de carros esportivos de luxo e eventos dos quais participam. Os vizinhos, indignados, fizeram uma denúncia à Guarda Civil Municipal (GCM) da cidade.

Em contato com o G1, a prefeitura de Bertioga confirmou que a GCM foi acionada para atender a um caso de perturbação de sossego, por causa de som alto, e compareceu ao imóvel. A equipe constatou o volume alto, mas não acima do permitido. 

A corporação solicitou ao responsável pela residência que reduzisse o volume e isso foi atendido. Ainda segundo a administração, os agentes também orientaram sobre as medidas de isolamento social por conta da pandemia de Covid-19.

Em entrevista ao G1, o advogado Fernando Andrade Vieira, que faz parte do grupo e estava no local, explicou que essa não é a primeira vez que há reclamação de som alto na residência, e que não existe proibição legal para que as pessoas se reúnam. Ele confirmou que houve a comemoração no imóvel, mas que era uma festa familiar.

“Não sei o que tanto incomoda em ter um som na casa. Você exigir que não tenha som em uma casa, não existe lei para isso. No que tange à união de pessoas, na realidade, também não existe a proibição, e sim uma orientação. São duas coisas diferentes”, afirma.

Ele alega que a comemoração causou polêmica nas redes porque os carros eram de luxo. “Venhamos e convenhamos, se fossem dez fuscas velhos na frente da casa, não teria nenhum problema”, afirma.

“As pessoas não querem saber o que o grupo faz em prol da sociedade. Essa semana, fizemos a arrecadação de alimentos para instituições. Inclusive, eu ajudo diversos abrigos para cachorros de rua. Não precisamos postar para não colocar a pessoa que recebe em uma situação constrangedora. O fato de os integrantes do grupo, graças a Deus, terem uma situação diferenciada e se tornarem odiados é muito chato. Aqui, todas as pessoas são trabalhadoras, são empresários, são pessoas que fazem o bem e que pagam todos os seus impostos. Se puxar a placa de todos os carros, não tem um devendo IPVA. Nós temos o direito de ir e vir”, finaliza.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas