Guto comemora goleada sobre o Vasco: 'Melhor partida do ano'

e.c. bahia
10.05.2018, 05:00:00
Atualizado: 10.05.2018, 10:04:27
Para Guto, Bahia tem que manter pés no chão até jogo da volta (Felipe Oliveira / EC Bahia)

Guto comemora goleada sobre o Vasco: 'Melhor partida do ano'

Técnico destacou jogadores do Bahia que voltaram a marcar após jejum de gols

O técnico Guto Ferreira comemorou a volta por cima em grande estilo do Bahia na noite de quarta-feira (9). Se antes a equipe estava há três jogos sem marcar, o Esquadrão venceu por 3x0 com espaço para mais diante do Vasco, na Fonte Nova, pelo jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil.

“O grupo mostrou que é capaz. Dos 50 gols que a equipe fez (na Série A) no ano passado, 25 foram de jogadores que continuam aqui no plantel. Então que bom que Zé (Rafael), que estava aqui em 2017, voltou a marcar. Edigar, Vinícius, todos são daquele elenco. Show! É disso que precisamos”, comentou.

Para o técnico, o mando de campo fez toda a diferença. “O grande problema da partida contra o Sport foi que nós começamos bem e depois fomos cedendo espaço. Hoje, não. Dentro de casa, tem a empatia com o torcedor. A equipe se enche de disposição e fez o que a gente conversou com eles, de se impor. Na minha concepção, foi a melhor partida do Bahia no ano”.

Guto concordou que o destaque da goleada sobre o Vasco foi João Pedro. Para o treinador, no entanto, o desempenho do lateral direito, que atuou como titular por causa da lesão de Nino Paraíba, não surpreendeu.

“Eu não tenho dúvida da qualidade do João. É de um vigor, de uma intensidade… O que houve com ele aqui foi que ele se machucou muitas vezes e nunca pôde pegar o ritmo total. Essa sequência de jogos me permitiu colocá-lo contra o Blooming e contra o Botafogo-PB, por exemplo. Foi a quinta partida dele após a lesão. À medida que ele vá pegando o ritmo, vai ser disso para melhor. É um grande jogador”, comentou.

A partida de volta, em São Januário, será apenas após a Copa do Mundo, no dia 16 de julho. Para Guto, o 3x0 na Fonte Nova não pode acomodar o time. “A gente ainda não fez nada, então é pezinho no chão. Mas é importante saber que, quando o jogador errar, a gente possa apoiar, mostrar que tem para onde crescer, que tem qualidade para jogar como jogou hoje”, concluiu.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas