Implantação da placa do Mercosul na Bahia é adiada após problema com sistema

bahia
26.12.2018, 15:45:00
Atualizado: 26.12.2018, 16:00:57

Implantação da placa do Mercosul na Bahia é adiada após problema com sistema

Detran-BA teve filas e reclamações nesta quarta; sistema foi atualizado

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Entrada do Detran-BA na manhã desta quarta (Foto: Bruno Wendel/CORREIO)

Após uma manhã de caos e chá de cadeira na sede do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-BA), em Salvador, para quem tentava resolver problemas relacionados ao novo emplacamento, o órgão resolveu suspender o serviço nesta quarta-feira (26) diante do não funcionamento do sistema do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), que estava sendo atualizado.

Por volta de 14h, o Detran-BA confirmou a implantação da placa Mercosul, em território baiano, para essa quinta-feira (27). "O sistema do Detran-BA é interligado ao Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), que finalizou a sincronização sistêmica hoje à tarde. A troca de placas foi determinada pelo Denatran para ser aplicada em todos os estados, com o objetivo de oferecer mais segurança aos proprietários de veículos", informou o órgão, em nota.

Gente no chão
Pela manhã, o CORREIO esteve na sede do Detran, na Avenida ACM, e presenciou muita insatisfação por parte de quem tentava resolver o problema do emplacamento. Aguardando para ser atendidos, muitos condutores ou proprietários de veículos resolveram sentar no chão, esperando que a data anunciada anteriormente para o início da implantação fosse cumprida.

"O problema é que há uma demora na atualização do sistema por parte da Serpro. Por isso o sistema está fora do ar. A previsão é que a regularização seja a partir das 14h. Estamos distribuindo senhas", afirmou Ítalo David Neves de Souza, coordenador da central de atendimento do Detran, antes da confirmação do adiamento do serviço.

O caminhoneiro Roberto dos Santos, 42 anos, primeiro da fila, chegou cedo para tentar regularizar sua situação. "Estou aqui desde as 6h tentando a transferência e já são 10h, e nada. Formamos uma fila aqui no canto para garantir o impossível atendimento às 14h, já que até agora ninguém entregou senha. Se for sentar, eu perco o meu lugar", declarou.

Logo atrás dele estava a dentista Luísa Vitória, 26. Ela comprou o carro na última sexta-feira (21) e chegou às 8h junto com o marido para fazer a vistoria do carro. "Disseram que (o sistema) estava fora do ar é por isso não consegui o emplacamento. Disseram ao meu marido que hoje não iam conseguir resolver o problema, e que era para a gente ir embora", declarou a dentista, que posteriormente desistiu de esperar e deixou a sala de atendimento.

Jeferson Alves Borges, 34, tentava desde a semana passada fazer a transferência de documentação do veículo. "Na sexta, disseram que o sistema também caiu. Hoje, diante da mesma desculpa, ligamos para a Serpro, que negou [o problema]. Informou que tudo está funcionando normalmente. Não é possível. Tem alguma coisa acontecendo de errado com essas novas placas", comentou ele, ao destacar que "toda a fila é para o mesmo problema". "Tem mais 50 pessoas na fila que formamos", observou, por volta de 10h.

Outras pessoas se aglomeravam na porta da sala de atendimento à espera de senhas. Era o caso de Natanael Lins Braga, 27. Ele tirou o carro zero da concessionária na última sexta e desde o dia tenta o emplacar o veículo. "Esse descaso do Detran tem que acabar. Esta é a segunda vez que falto o trabaho para resolver isso. O pior é que a gente reclama e nada é resolvido", disparou. 

Porta-voz da Comissão dos Taxistas, João Adorno, chegou para o primeiro emplacamento às 6h40 e às 10h30 ainda fazia parte da multidão que amargurava a espera do serviço de emplacamento.

"Estou sem trabalhar. Sou taxista. Tempo pra mim, literalmente, é dinheiro. Tento o emplacamento desde a sexta e o sistema continua fora de operação. Como pode?", questionou.

Adorno disse que quase teve o carro novo apreendido numa blitz no Vale do Ogunjá porque circulava com o carro sem placa nessa terça-feira (25). "Estava com a nota fiscal, mas os policiais disseram que o documento só é válido para a locomoção da concessionária para o Detran. Falaram ainda que poderia pegar multa de R$ 193, guincho R$ 250 e a diária do pátio R$ 44", relatou.

Portaria
Após a Justiça determinar a suspensão de uma portaria do Detran que disciplina normas complementares para a utilização da placa Mercosul na Bahia, o Estado decidiu pela revogação da portaria, que será publicada no Diário Oficial dessa quinta. A Secretaria Estadial da Administração (Saeb) justifica que fica valendo apenas as normas do Denatran (órgão do governo federal), que regulamenta através de resoluções todo o processo.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas