Incentivar a convivência será o maior desafio do século XXI

artigo
15.04.2019, 15:00:00

Incentivar a convivência será o maior desafio do século XXI


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.



O processo de expansão da consciência individual tem um lado negativo: abala as relações sociais. A gradual desintegração de formas tradicionais, dos contatos sociais, com interações face a face, estão sendo substituídas por uma geração hiperindividualista privada da sociabilidade. 

Um dos sintomas do isolamento é a degradação da cidadania. Há pouco espaço para projetos em comum, ações políticas que estejam no horizonte. Obviamente, não é geral, mas os níveis de despolitização da sociedade atual são, sim, preocupantes. Lutar por ideais, manifestar pautas em conjunto, em reuniões e encontros presenciais, é cada vez mais uma exceção, principalmente em sociedades absorvidas pela apologia ao consumismo ou estados autoritários que minam a liberdade.

Outro aspecto preocupante está no campo da educação. Novas formas de ensino, no qual não se incentiva aulas presenciais, é a falência da integração face a face entre professor e estudantes. As discussões em sala, a construção de novas ideias, o compartilhamento às dificuldades de aprendizado, muitas vezes só superadas na interação, e a própria dinâmica de crescimento pessoal e coletivo, é ceifada pelo aprendizado privatista do lar. Infelizmente, um triste processo de hiperindividualização do aprendizado.

Em sociedades com algum avanço tecnológico, vemos no cotidiano a relação de isolamento também na família. Os meios de comunicação têm afastado pais, filhos e parentes; almoçar e jantar juntos, que é um processo importante de integração familiar, é coisa do passado. Cada um vai para seu canto, com seu celular, notebook ou TV em seus cômodos.

Por outro lado, muitas pessoas não desejam constituir família. A competição, a obrigação social de uma vida material sofisticada têm levado homens e mulheres a desistirem de terem filhos e parceiros(as), o que incide na solidão e no desapego a qualquer laço mais afetivo e permanente. É só observar o fenômeno da relação entre humano e máquina no filme Her, de Spike Jonze, ou no documentário Dark Net, atualmente, na Netflix.

Em decorrência de alguns acontecimentos sociais, principalmente a violência urbana, as pessoas também evitam sair de casa e preferem viver no mundo dos serviços de streamings, games, novelas, salas virtuais. O isolamento social atrofia as interações, tornando os encontros presenciais (confraternizações, esportes, idas ao parque, cinema, teatro) cada vez mais raros. Estes comportamentos podem levar a solidão, gerando sintomas psíquicos graves como depressão, ansiedade, melancolia, vícios (pornografia, games), fobias (por exemplo, a nomophobia) e ao suicídio.

Estamos regredindo? O homo sapiens está se tornando antissocial? É urgente restabelecer o vínculo entre pessoas, observar o substrato humano antes das vestes. Incentivar a convivência. Este será o maior desafio do século XXI.


Alan Rangel Barbosa é doutor em Ciências Sociais/UFBA e professor da Faculdade Fundação Visconde de Cairu.

Opiniões e conceitos expressos nos artigos são de responsabilidade dos autores

***

O CORREIO entende a preocupação diante da pandemia do novo coronavírus e que a necessidade de informação profissional nesse momento é vital para ajudar a população. Por isso, desde o dia 16 de março, decidimos abrir o conteúdo das reportagens relacionadas à pandemia também para não assinantes. O CORREIO está fazendo um serviço de excelência para te manter a par de todos os últimos acontecimentos com notícias bem apuradas da Bahia, Brasil e Mundo. Colabore para que isso continue sendo feito da melhor forma possível. Assine o jornal.


Relacionadas
Correio.play
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/duster-2021-veja-tudo-que-mudou-no-suv-da-renault/
Jornalista automotivo testou o modelo e apresenta suas impressões
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/novelas-classicas-chegam-ao-globoplay-e-a-favorita-e-a-primeira/
'Laços de Família', 'Vale Tudo' e 'Tieta' estão entre as próximas
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/sao-joao-parte-1-dia-de-tradicao-antecipada-teve-licor-e-forro-em-familia-em-salvador/
Para aliviar tensão da pandemia, muita gente recorreu ao humor e, claro, ao rango típico nessa segunda-feira atípica
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/anitta-x-leo-dias-entenda-o-conflito-entre-a-cantora-e-o-jornalista/
Cantora afirmou que era ameaçada e chantageada há alguns anos
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/veja-dicas-para-se-dar-bem-nas-selecoes-de-emprego-pela-internet/
Especialistas selecionam uma série de orientações importantes para fazer bonito nas entrevistas
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/cheio-de-graca-baianos-criam-memes-com-a-antecipacao-de-feriados/
Confira alguns memes que estão 'bombando' nesse feriadão antecipado por conta da pandemia
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/populacao-desrespeita-decretos-e-faz-ate-paredao-em-simoes-filho/
Comércio não-essencial estava aberto na cidade; prefeitura local faz apelo
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/bolsonaro-come-cachorro-quente-em-brasilia-sob-gritos-de-assassino/