Itaipu tem queda na produção de energia no ano, dezembro é recorde

brasil
31.12.2017, 20:45:00
Atualizado: 31.12.2017, 20:45:25
(Divulgação)

Itaipu tem queda na produção de energia no ano, dezembro é recorde

Apesar da retração, desempenho de 2017 foi o quarto maior da história da usina

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A produção de energia da usina hidrelétrica de Itaipu voltou a cair em 2017, depois de ter atingido o seu pico histórico no ano anterior. Foram gerados 96,3 milhões de megawatts-hora (Mwh) neste ano, queda de 6,6% em relação ao recorde de 2016, de 103,1 milhões de Mwh. Apesar da retração, o desempenho de 2017 foi o quarto maior da história da usina, que tem 33 anos e sete meses de operação.

Segundo a empresa, o resultado é equivalente ao que se costuma registrar em anos de condições hidrológicas favoráveis. A produção seria capaz de atender o consumo do Brasil por 72 dias ou o da cidade de São Paulo por três anos e três meses. Além disso, o ano termina com dezembro registrando o desempenho mensal mais alto da história da usina. Com a ajuda de chuvas localizadas nos últimos meses e das que caíram nos últimos dias ao longo da Bacia do Rio Paraná, o último mês de 2017 produziu 9,2 milhões de Mwh e superou o desempenho de julho de 2012, que até então era o dono da maior marca, com 9,1 milhões de Mwh.

A usina binacional também contribuiu para diminuir a utilização das termoelétricas. Com isso, a partir de janeiro a bandeira tarifária do setor elétrico deixa de ser a vermelha nível 1, que cobra R$ 3 a mais por cada 100 quilowatt-hora (kWh) consumidos, e passa a ser verde, sem o custo adicional para o consumidor.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas