Jantar com Jorge Amado e ida ao Mercado Modelo: a visita do Príncipe Philip a Salvador

salvador
09.04.2021, 09:52:00
Atualizado: 09.04.2021, 20:23:20
Recepção feita por políticos, autoridades e artistas a Elizabeth e Philip (Foto: Secom/Acervo Arquivo Publico da Bahia)

Jantar com Jorge Amado e ida ao Mercado Modelo: a visita do Príncipe Philip a Salvador

Duque de Edimburgo morreu hoje aos 99 anos

3 horas dos 99 anos do Príncipe Philip foram passadas em Salvador. No início de novembro de 1968 o Duque de Edimburgo, ao lado da esposa Rainha Elizabeth II, fizeram um passeio pelo Brasil. Por aqui visitaram Recife, Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e, claro, Salvador.

Pouco menos de 53 anos após pisar os pés na capital baiana, o Príncipe Philip morreu na manhã desta sexta-feira (9) na Inglaterra.

A passagem por Salvador foi curta, porém quente - literalmente. A primaveira com ares de verão recepcionou a o casal real com ardentes 33 graus. 

O colunista Nelson Cadena, do CORREIO, contou em um texto de 2012 que o motorista que levaria a Rainha se descuidou e não estacionou na sombra. "Beth", desprevenida, entrou no carro e sentou direto no banco de couro do Lincoln 1935, que a levaria para um "tour" pela cidade da Bahia.

Ao encostar no assento, que mais se assemelhava a um forno, a vossa majestade arregalou os olhos e deu um pinote do banco em brasas. A cena provocou o espanto dos presentes e resultou num pequeno atraso em sua agenda.

Segurança do cortejo era garantida apenas por uma corda e alguns policiais de enfeite (Foto: Arquivo Público da Bahia)

Após o susto, o passeio deu início. A primeira parada de Elizabeth e Philip foi o mercado modelo. O chão do local, que era de cimento, foi coberto com uma esteira de sisal para não ferir os pés reais. 

No ponto turístico, o casal apreciou as barraquinhas de folha, o artesanato, bebeu um suco de pitanga e aceitou, de bom grado, ornamentos de prata confeccionados pelo joalheiro Gerson, por encomenda de Camafeu de Oxóssi, em nome dos barraqueiros.

Após deixar o Mercado Modelo, a corte partiu em direção  a Ladeira da Conceição, novinha em folha com uma camada de asfalto passada no dia anterior. 

Com bandeiras da Inglaterra, milhares de baianos se aglomeravam pelo caminho na tentativa de dar uma espiadinha no casal real. 

Menina furou bloqueio e conseguiu se aproximar da rainha (Foto: Arquivo Público da Bahia)

Logo depois, a rainha reuniu-se com os ingleses residentes em Salvador na Igreja Anglicana, participou de uma solenidade no Palácio da Aclamação, presentes as autoridades do estado e 120 casais convidados, inclusive intelectuais e artistas como Jorge Amado e Carybé; visitou a Igreja de São Francisco e o Museu de Arte Sacra antes de embarcar de volta no Britânia, o navio real que a conduziria ao Rio de Janeiro, próxima parada em sua tour em terras tupiniquins.

Então, o navio cruzou o Farol da Barra, seguido de duas corvetas inglesas e muitos saveiros em solene procissão, o povo baiano da orla apreciando o cortejo.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas