Jogadora diz que Paulo Gustavo 'foi para o inferno' e clima pesa na Seleção

brasil
11.05.2021, 19:03:28
Atualizado: 11.05.2021, 20:29:54
(Divulgação e Reprodução/CBF)

Jogadora diz que Paulo Gustavo 'foi para o inferno' e clima pesa na Seleção

Chú Santos pediu desculpas após comentário preconceituoso, mas situação preocupa CBF às vésperas da Olimpíada

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A declaração da atacante Chú Santos, da Seleção Brasileira Feminina de futebol, sobre a morte de Paulo Gustavo — ela afirmou que o humorista "foi para o inferno" — foi considerada como "imperdoável" por pelo menos três atletas da equipe, mesmo com o pedido de desculpas da jogadora.

Uma das colegas de Chú na Seleção chegou a chorar quando soube do posicionamento da jogadora, que repercutiu em todo o país. O apresentador e ex-jogador Neto chegou a defender que ela fosse desligada do Palmeiras, equipe que ela defende atualmente.

Aos 31 anos, Francisleide dos Santos Barbosa fez o comentário numa postagem no Facebook que comparou a morte do cantor e pastor evangélico baiano Irmão Lázaro com a perda do "ator, gay e umbandista", fazendo alusão de que a doença pandêmica não escolhe gênero ou classe trabalhadora. 

Nos comentários, Chú disparou que a diferença é que Paulo Gustavo "foi para o inferno". A repercussão contou com comentários de diversas atletas, como a também atacante Cristiane e demais colegas de Palmeiras. Para elas, a frase preconceituosa não só faltou com respeito com as companheiras, como pode atrapalhar a imagem do futebol feminino.

A avaliação da equipe técnica da Seleção e da própria CBF é de que o dano à imagem de Chú é difícil de reverter, havendo precupação que o incidente contamine o ambiente do grupo que se prepara para a disputa da Olimpíada de Tóquio.

De todo modo, Chú não deve ser ser advertida formalmente pela confederação. No Palmeiras, equipe defendida pela jogadora, as reações à declaração também foram adversas, e ela foi criticada por colegas de clube. Com informações do Terra e Placar.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas