Lee, você é mortal

trilhas
01.11.2020, 16:00:00

Lee, você é mortal


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A semana foi desse Brasil que eu já não consigo nomear. A “esquerda” unida voltou, ativada pela entrevista de João Santana, vulgo Patinhas, no Roda Viva de segunda-feira, 26 de outubro. De tornozeleira, possivelmente a trabalho para a campanha de 2022, Santana defendeu a mentira, o caixa 2, e sugeriu a hipótese que já deveria ser estratégia, porque foi publicada dia seguinte nos jornais. Lula e Ciro devem compor uma chapa em 2022, Ciro na cabeça e Lula na vice-presidência. Totalmente a serviço da volta, o ministro Toffoli detonou a Lava-Jato que condenou Lula, seu presidente nomeador.

Neste mesmo Brasil de #LulaCiroToffoli e, possivelmente, Zé Dirceu, o CEO da corrupção, Bolsonaro visitou o Maranhão do governador Flávio Dino, aquele que desentranhou a oligarquia Sarney do estado, e hoje não consegue evitar que uma multidão recepcione Bolsonaro em São Luís aos gritos de “mito” e “fora Flávio Dino”. Na visita, Bolsonaro ressuscitou o termo "boiola" com a frase “Agora virei boiola igual maranhense, é isso?” depois de beber o refrigerante rosa Jesus, típico da região. Tão bizarro quanto o refrigerante Jesus, a empresa de Eduardo Cunha, a Jesus.com, que possuía um Porsche Cayenne, um Ford Edge V6, um Ford Fusion NA WD GTDI e um Hyundai Tucson GLS 27L.

Mas, bolsonaristas, lulopetistas e anarquistas, e todos os demais Istas exceto os Humanistas, são todos órfãos de Lee Kun-hee, presidente da Samsung que morreu domingo. Lee não foi corrupto, acho. Ele transformou o comércio de macarrão de seu pai no maior conglomerado da Coreia do Sul, com dezenas de afiliadas que vão de eletrônicos e seguros até a construção de navios e obras civis. E está em nossas casas. E é quase nosso parente. Nós construímos seu patrimônio de 21 bilhões de dólares, patrimônio dobro do PIB do Congo, por exemplo. Por isso, retomando o ritual das carpideiras, eu canto para Lee o um Poema que os Sumérios criaram: "Aonde você vai? [Lee] Você não encontrará a vida eterna que procura. Quando os deuses criaram a humanidade Eles lhe deram tudo, Mas ficaram com a vida eterna. Assim, (...), encha seu estômago dia e noite, dance, divirta-se, Use roupas limpas, mantenha a cabeça lavada, banhe-se em água! Dance, beba, você é mortal.”

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas