Liberado para jogar, Martín Rodríguez prega cautela: 'Não podemos adiantar os passos'

e.c. vitória
03.08.2020, 15:28:00
Atualizado: 03.08.2020, 18:14:10

Liberado para jogar, Martín Rodríguez prega cautela: 'Não podemos adiantar os passos'

Autorizado pelos médicos, goleiro do Vitória fala sobre retorno ao futebol após cirurgia no joelho

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Goleiro Martín Rodríguez treina com bola na Toca do Leão (Foto: Letícia Martins/ Divulgação ECVitória)

Depois de seis meses, Martín Rodríguez está autorizado a voltar a jogar. Apesar de liberado pelos médicos, o goleiro do Vitória prega cautela no retorno aos gramados. "Consegui a liberação do departamento médico. Tenho que agradecer a eles e à estrutura do clube, que me deu todo apoio para uma boa recuperação. Agora só falta conseguir treinar normal, conseguir ritmo para ficar à disposição de Bruno", afirmou o uruguaio, sem especificar em quanto tempo estará pronto para reestrear com a camisa vermelha e preta. "Estou me sentindo bem, com segurança, mas não podemos adiantar os passos, porque é uma lesão difícil. Passo a passo vamos trabalhando da melhor maneira".

Titular absoluto na Série B do ano passado, Martín Rodríguez se lesionou na primeira partida desta temporada. Ele rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho direito durante o empate sem gols com o Fortaleza, no Barradão, na estreia da Copa do Nordeste, em 25 de janeiro. A cirurgia foi realizada no dia 3 de fevereiro e a previsão era de que ele voltasse a ficar à disposição do treinador entre julho e outubro. 

Ao contrário de muitos atletas estrangeiros que optaram por retornar para seus países quando a pandemia de coronavírus começou, Martín Rodríguez seguiu em Salvador e, durante o período em que a Toca do Leão esteve fechada para evitar o contágio da doença, o uruguaio fez da casa onde mora, em um condomínio em Lauro de Freitas, o seu centro de recuperação particular. 

Utilizava o espaço ao ar livre para caminhar e a piscina para realizar trabalhos de mobilidade. Tudo era orientado pela equipe médica do Vitória, com quem mantinha contato diário por WhatsApp inclusive para dar feedback através de fotos e vídeos. Por conta do isolamento social, a avaliação presencial nas dependências do clube era feita apenas uma vez por semana. 

"Tenho que agradecer o trabalho do departamento médico, que foi extraordinário. Na pandemia, eu pude fazer uma recuperação e treinar tranquilo. E ganhei tempo durante a pandemia", comenta. Ganhou mesmo. Tanto que ele foi liberado pelos médicos para iniciar a volta gradativa ao futebol uma semana antes da estreia da Série B.

A competição deveria ter começado no dia 2 de maio e Martín teria passado três meses dela em recuperação da cirurgia. A pandemia de covid-19 fez com que o início da divisão de acesso fosse adiado para o próximo sábado (8), quando o Vitória recebe o Sampaio Corrêa, às 19h, no Barradão. 

No ano passado, Martín assumiu o gol do Leão com a Série B em andamento. Ele foi contratado para acabar com a rotatividade embaixo das traves e teve sucesso nesse quesito. Quando ele chegou ao clube, Ronaldo era o titular, assim como atualmente. O uruguaio estreou na 9ª rodada e só ficou fora do time nas 20ª e 21ª rodadas, porque estava contundido. Foram 28 jogos, todos como titular, e 29 gols sofridos. 

Agora, Martín acredita que terá trabalho para reconquistar a posição. "Uma luta muito grande, porque tem bons goleiros demonstrando o trabalho dos treinadores. Melhor assim que temos bons rendimentos para ajudar o time", afirma.

A tendência é que o uruguaio ainda não seja relacionado para a partida contra o Sampaio Corrêa. Diante da equipe maranhense, Ronaldo deve seguir como titular e César como opção no banco de reservas. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas