Limpeza certificada: Ford promete desinfectar os automóveis com novo produto

autos & etc
09.05.2020, 05:00:00

Limpeza certificada: Ford promete desinfectar os automóveis com novo produto


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Para lidar com a pandemia, as fabricantes e concessionárias estão fazendo diversas adaptações, desde a forma de vender até a limpeza do veículo. A Ford aposta na normatização dos processos e no lançamento de um novo produto. O programa é composto por dois pilares que incluem protocolos de higienização e atendimento seguro para a concessionária, além de um serviço de desinfecção de veículos.

O programa abrange todas as instalações e operações da loja, desde vendas a serviços, com critérios rígidos para garantir a saúde e a segurança de todos. Essa certificação foi desenvolvida com base nas orientações do Ministério da Saúde e da Anvisa, contendo as melhores práticas para a higienização e prevenção de doenças. Para a desinfecção, é utilizado um produto não disponível ao público em geral, produzido pela 3M, o Peróxido Pronto Uso.

 Concessionárias da marca vão obedecer um rígido programa para combater o Covid-19
Concessionárias da marca vão obedecer um rígido programa para combater o Covid-19

O desinfetante é registrado na Anvisa e de ação comprovada contra bactérias, fungos e vírus. Atualmente é empregado em hospitais para desinfecção de UTIs, salas de emergência e outras áreas de alto risco. As 185 concessionárias da Ford foram certificadas e o serviço de desinfecção, que inclui o produto e sua aplicação, custa R$ 129. O novo programa se une à iniciativa Compre Sem Sair de Casa em que os clientes também têm a opção de comprar e receber o veículo sem precisar ir na loja.
 
BALANÇO DE ABRIL
Somadas, as vendas das duas principais categorias do mercado (automóveis e comerciais leves) foi de 51.362 unidades em abril. Ou seja, 76,79% a menos do que os números obtidos no mesmo mês do ano passado (221.292). Em relação a março, a queda foi de 67,03%. O impacto negativo foi menor apenas nas vendas de caminhões, que caiu 53,93% em relação a abril do ano passado e 40,02% em comparação com março. “Lamentavelmente, voltamos aos patamares de vendas registrados há 14 anos para automóveis e comerciais leves e retornamos aos volumes de 1992, ou seja, voltamos aos resultados de 28 anos atrás”, aponta Alarico Assumpção Júnior, presidente da Fenabrave, entidade que reúne as concessionárias de veículos novos.
 
DIVISÃO POR MARCAS
 A General Motors, que atua no país com a marca Chevrolet, ficou com a maior participação nas vendas de abril: 19,49%, o equivalente a 10.008 veículos. A Fiat (14,64%) ultrapassou a Volkswagen (14,15%) e ficou com a segunda posição, deixando a empresa alemã com a terceira. A Toyota (9,33%) ficou em quarto lugar, enquanto as três seguintes ficaram separadas por poucos carros: Ford (8,64%), Hyundai (8,60%) e Renault (8,25%). Na sequência, para fechar as dez mais bem posicionadas vieram: Jeep (4,40%), Nissan (3,37%) e Honda (2,92%).
  
MODELOS PREFERIDOS
Em abril o ranking de emplacamentos de automóveis e comerciais leves (picapes e vans) foi liderado pelo Chevrolet Onix, que teve 3.619 unidades licenciadas. O Hyndai HB20 ficou com a segunda posição, com 2.837 exemplares, e o Onix Plus com a terceira, com 2.233. O quarto colocado foi o Ford Ka (1.842) e o quinto a Toyota Hilux (1.762), a maior supresa entre os dez primeiros. Da sexta à déxima posição ficaram: Fiat Toro (1.713), Volkswagen Gol (1.648), Fiat Strada (1.630), Renault Kwid (1.622) e Chevrolet Tracker (1.395).
 
BRIGA DE GERAÇÃO
Levando em consideração apenas os modelos de nova geração, a Hyundai reivindica a liderança. Em abril, foram emplacados 2.729 do novo HB20 contra 2.646 do novo Onix, não se considerando a geração anterior do HB20 (3 unidades) e o Onix Joy (967 unidades). 
 
MERCADO BAIANO
O Chevrolet Onix ficou com as duas primeiras posições no ranking estadual em abril. O hatch foi o primeiro com 186 emplacamentos e o sedã o segundo, com 141 unidades licenciadas. As duas posições seguintes foram ocupadas por duas picapes da Fiat: Toro (123), em terceiro, e Strada (117), em quarto. Na quinta posição, um empate entre a Chevrolet S10 e o Toyota Corolla, com 108 emplacamentos cada. Na sequência, o Ford Ka (90), em sexto lugar, a Chevrolet Montana (75), em sétimo, e a Ford Ranger (71), em oitavo. Outro empate na nona posição: Toyota Hilux e Hyundai HB20, com 70 exemplares cada. Em décimo ficou o Renault Kwid (69).
 
SONHO DE CONSUMO
No segundo semestre, o superesportivo R8 chegará ao país em nova geração. Dessa vez, os clientes da Audi poderão configurar o seu veículo antes de ser  produzido e personalizar até dez itens, como as cores do acabamento interno, as pinças de freio, o desenho das rodas e as capas dos retrovisores. Ao todo, de acordo com a fabricante alemã, são quase 1,6 milhão de combinações possíveis. No entanto, o preço é que é impossível para a maioria: R$ 1.234.990.

(Foto: Divulgação)

Mas quem puder comprar terá à disposição um motor V10 que entrega 610 cv de potência e 57,1 kgfm de torque. Com esse conjunto, a aceleração de 0 a 100 km/h é feita em apenas 3,2 segundos, com velocidade máxima de 330 km/h. A transmissão é a S tronic de sete velocidades e a tração está disponível nas quatro rodas.

CINCO ANOS
A Toyota passa a oferecer cinco anos de garantia para todos os seus modelos zero-quilômetro. Até agora, apenas o Corolla contava com essa cobertura. Os componentes do sistema híbrido do Corolla, Prius e Rav4 continuam com garantia de oito anos.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas