Luedji Luna, Xenia França e Larissa Luz são destaque em revista do New York Times

salvador
12.04.2021, 20:35:53
Atualizado: 12.04.2021, 20:49:18
(Reprodução/TMagazine)

Luedji Luna, Xenia França e Larissa Luz são destaque em revista do New York Times

Cantoras baianas, que integram o projeto Aya Bass, ganharam reportagem na TMagazine

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.


As cantoras baianas Luedji Luna, Xenia França e Larissa  Luz ganharam uma reportagem na revista TMagazine do jornal americano The New York Times. Na publicação, assinada pela jornalista Tarisai Ngangura, com foto de Hick Duarte, o trio de baianas fala sobre a ansiedade pelo reencontro e a música afro-brasileira. A reportagem tem o título de "Amigas quem sente falta uma das outras".

Apesar de carreiras solo de sucesso, elas integram o projeto  Aya Bass, que celebra o poder das mulheres negras na música baiana e  faz reverência ao termo yorubá “Ayabas”, que significa mãe rainha e designa as orixás femininas.

Na publicação, as cantoras falam sobre o projeto e a última vez que se apresentam juntas, no carnaval de 2020 em Salvador. E também destacam como a pandemia impactou nos seus trabalhos.

Nas redes sociais, Larissa e Luedji celebraram a reportagem na publicação dos Estados Unidos. “Mulheres pretas, baianas no New York Times, TEMOS! Quando a arte atravessa fronteiras e ganha mais força ainda derrubando qualquer teoria de que a nossa unidade tem sido enfraquecida por algum motivo!”, disse Larissa Luz em um post.

Luedji fez um grande texto onde passou por trajetórias, histórico de apagamento de cantoras na Bahia, apropriação cultural, até destacar a força das parceiras de projeto. Ela também ressaltou o ineditismo de três mulheres negras brasileiras aparecerem juntas na revista. 

"Essa é a primeira vez que três mulheres afro-brasileiras aparecem na revista juntas desde a fundação. E somos nós, as cantoras Larissa Luz, Luedji Luna, e Xênia França, as três mulheres que figuram essa história. Vilma Reis costuma dizer em seus discursos, que gente preta tem de ter nome e sobrenome, caso contrário o racismo coloca o nome que quiser. Mas não é sobre racismo o que quero falar! (...) Quero falar como essas mulheres, essas duas cantoras da minha geração, me inspiram, e fazem com que eu queira ser uma artista melhor, cantora melhor, e me desafiam a sair da minha zona de conforto. É muito bom ter como referência minhas contemporâneas. Sim, estamos na @tmagazine!"

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas