Luz e fúria na noite de São João

bahia
23.06.2019, 06:04:00

Luz e fúria na noite de São João

Disputas entre os espadeiros nas cidades do Recôncavo baiano transformam festejos juninos em espetáculo pirotécnico.

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Cruz das Almas, 24 de junho de 2006, foto de Antonio Saturnino

Os fogos de artifício e as fogueiras são parte da tradição da noite de São João, junto com a mesa farta e a celebração com parentes e amigos. E em algumas cidades da Bahia, principalmente no Recôncavo, o momento mais esperado dos festejos juninos é a guerra de espadas. De origem árabe, a espada é um artefato bem antigo e foi utilizado como arma antes de se tornar um instrumento para sinalização portuária e marítima na Europa.
A guerra de espadas é resultado dessas transformações na função do artefato e se caracteriza por uma disputa entre grupos pelo controle de determinado espaço. É um espetáculo pirotécnico onde os guerreiros do fogo, em meio às faíscas e às fagulhas, exibem destreza e coragem ao tocar a espada na noite de São João

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas