Mais de 631 mil baianos voltam às urnas no próximo domingo

bahia
24.11.2020, 06:00:00
Atualizado: 25.11.2020, 00:54:43

Mais de 631 mil baianos voltam às urnas no próximo domingo

Segundo turno acontece em Feira de Santana e Vitória da Conquista 

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Mais de 631 mil  baianos vão voltar  às urnas no próximo domingo (29). Nos dois maiores colégios eleitorais do interior do estado  -  Feira de Santana e Vitória da Conquista -  as eleições municipais serão decididas  em segundo turno. Em ambas as cidades, uma disputa polarizada entre candidatos de partidos rivais: PT e MDB. 

Em Vitória da Conquista  esta é a segunda vez que os candidatos Herzem Gusmão (MDB) e Zé Raimundo (PT) se enfrentam. O mesmo aconteceu nas eleições de 2016 quando Herzem garantiu seu primeiro mandato.

No município do sudoeste baiano, a campanha desde o primeiro turno já vinha desenhando a polaridade que acabou indo para a segunda rodada de votações. “Desde o primeiro turno  a gente já sentia que esse seria o segundo turno e já havia essa polarização de esquerda e de direita. Agora, os vereadores que ganharam acabaram se tornando líderes de opinião e apoiando fortemente os candidatos de segundo turno’, diz a universitária Julia Andrade, 21 anos, que vota na cidade. 

"Estamos apresentando o que nós realizados nesses quatro anos. Encontramos uma cidade crescendo sem planejamento e já fizemos muito por Conquista. Esperamos continuar com esse trabalho", diz Herzem Gusmão. Zé Raimundo, por sua vez, diz que a expectativa para o domingo  é a melhor possível. "Estamos confiantes, sobretudo porque apresentamos nossas propostas para a cidade, fizemos uma campanha limpa e propositiva". 

Feira
Em Feira de Santana, a disputa é bem parecida. De um lado Colbert Martins (MDB), que tenta um novo mandato, e do outro o deputado Zé Neto (PT). “As coisas estão muito divididas por aqui. Até no que diz respeito aos apoios dos candidatos que perderam no primeiro turno, foram dois para cada lado, e um declarou que não iria apoiar ninguém”, diz  a arquiteta Carina Macedo.

Dentre as ações de campanha,  o investimento em carreatas para chegar mais perto da população.  “Foi uma campanha de muito trabalho, de pé na estrada, ou melhor, em cima do carro, já que não podemos fazer comício, ter o corpo a corpo comum, direto, e precisamos mesmo ter cuidados com relação ao coronavírus”, diz o petista Zé Neto.

“Foi uma campanha extremamente rápida, marcada pela falta de contato com as pessoas, Esse contato sendo feito com a presença das redes sociais. É muito diferente do que a gente já teve, mas seguimos nos aproximar o máximo possível das pessoas”, completa o adversário Colbert Martins, candidato à reeleição também em Feira.

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-Ba), a campanha que vai até a noite de  sábado (28) ainda não registrou qualquer denúncia de aglomeração em nenhum dos dois municípios. As medidas de segurança para o dia de votação serão as mesmas do primeiro turno com horário preferencial de 7 ás 10h para eleitores acima dos 60 ou que façam parte dos grupos de risco para o coronavírus, a obrigatoriedade do uso de máscaras. 

Além disso, os  eleitores só poderão entrar nos locais de votação se estiverem usando máscaras. As mãos deverão ser higienizadas com álcool em gel antes e depois de votar.  O TSE recomenda que o eleitor leve sua própria caneta para assinar o caderno de votação.

Nova eleição
Para os estudiosos da política, existem algumas características importantes a se destacar sobre a ocorrência de um segundo turno. “Existe uma visão que aponta o segundo turno como uma corrida zerada, como se os dois candidatos partissem de um mesmo patamar. Principalmente por conta das condições de tempo de exposição da proposta que são iguais no segundo turno. Por isso tem quem defenda que o segundo turno é como uma nova eleição, que iguala os concorrentes nos recursos”, explica o cientista político e professor da Universidade Federal da Bahia, Cloves Oliveira. 

“Por outro lado há quem defenda que mesmo com essas condições mais equilibradas, se continua em uma mesma onda e apenas se amplia de alguma maneira o convencimento, sobre eleitores indecisos, do mesmo campo ideológico, ou até de outro campo”, completa. 

O professor chama atenção, ainda, a importância de um instituto que só surge quando há o segundo turno: os apoios. “É possível se realinhar, atrair para base apoiadores que permitem impulsionar as candidaturas. Nesse cenário, o principal personagem é a capacidade dos partidos de ampliar o número de de partidos e bases que o apoia”, detalha Oliveira. 

Outras cidades
Eleitores de  57 cidades brasileiras irão às urnas novamente, neste domingo, para decidir seus prefeitos em segundo turno. O número corresponde a 60% do total. Havia 95 municípios com possibilidade de uma segunda rodada -  aqueles com mais de 200 mil eleitores. Essas cidades concentram 38 milhões de cidadãos aptos a votar, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Na região Nordeste, além de Feira de Santana e Vitória da Conquista,  haverá eleições ainda em outros oito municípios:  Aracaju (SE), Caucaia (CE), Fortaleza (CE), João Pessoa (PB), Maceió (AL), Recife (PE), São Luís (MA) e Teresina (PI). 

Seguindo o que determina a Constituição Federal, o segundo turno acontece para as eleições de cargos do executivo - presidente, governadores, e prefeitos - entre os dois candidatos mais bem votados, quando o primeiro não tiver ultrapassado a marca de 50% dos votos válidos. 

No caso das eleições municipais, como é a de 2020, a lei ainda determina que para haver segundo turno, é preciso que a cidade tenha mais de 200 mil eleitores. Caso contrário, o prefeito é eleito na primeira rodada de votações independente de ter ultrapassado a metade. 

Na Bahia, além das duas cidades onde o segundo turno vai acontecer, apenas Salvador teria a nova votação se a eleição não tivesse sido definida no último dia 15. Bruno Reis (DEM venceu a disputa na capital baiana  no primeiro turno.  Segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), todos os outros 414 municípios do estado não ultrapassam a marca mínima prevista em lei para necessitar de uma segunda rodada de votos.

Os candidatos  
O CORREIO conversou com os quatro candidatos em segundo turno no estado para saber o balanço da campanha a expectativa para este domingo.  

Feira de Santana 

ZÉ NETO    PT 
“Vencemos o primeiro turno e temos sentido tanto nas pesquisas, mas principalmente nas ruas, um sentimento muito forte de desejo de mudança que é confiado a nossa candidatura. Nesses últimos dias agregamos muitos apoios que não estavam conosco no primeiro turno e isso vai fazer a diferença nas urnas no domingo”

COLBERT MARTINS    MDB 
“Apesar dos resultados das últimas pesquisas, a nossa expectativa é de vitória. Temos propostas, temos ideias e temos trabalhado. Estamos vivendo uma pandemia, que não vai acabar até o fim do ano, e eu como médico e professor, tenho preparo e conhecimento para seguir esse trabalho de enfrentamento sem interrupção e isso é muito importante” 

Vitória da Conquista

ZÉ RAIMUNDO    PT 
“A expectativa para o domingo de eleições é a melhor possível. Estamos confiantes, sobretudo porque apresentamos nossas propostas para a cidade, fizemos uma campanha limpa e propositiva. Muitos partidos somaram conosco nesta reta final. Queremos uma cidade projetada para o futuro e para isso contamos com parcerias extremamente importantes. Entendemos que devemos governar para todos, sem perseguição e com muito diálogo. É assim que entendemos que vamos avançar e voltar a fazer de Conquista uma referência nacional”

HERZEM GUSMÃO    MDB 
“A gente continua com o mesmo estilo de programas e propostas. Estamos apresentando o que nós realizados nesses quatro anos. Encontramos uma cidade crescendo sem planejamento e já fizemos muito por Conquista. Esperamos continuar com esse trabalho”

Os números
Feira de Santana 

Eleitorado:  400.549 pessoas
Quantidade de locais de votação: 185
Quantidade de seções: 952
Quantidade de mesários:  3.808 

Números do primeiro turno
ZÉ NETO    PT - 119.862 - 41,58%
COLBERT MARTINS    MDB - 110.146 - 38,21%

Vitória da Conquista 

Eleitorado: 231.176 
Quantidade de locais de votação: 171
Quantidade de seções: 587 
Quantidade de mesários:  2.348

Números do primeiro turno
ZÉ RAIMUNDO    PT - 81.721 - 47,63%
HERZEM GUSMÃO    MDB - 78.732     - 45,89%

*Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas