Manter a média de gols é o que o Bahia precisa para ser campeão

e.c. bahia
07.05.2021, 05:05:00
Gilberto é o artilheiro do Bahia na temporada, com oito gols (Felipe Oliveira/EC Bahia)

Manter a média de gols é o que o Bahia precisa para ser campeão

Tricolor garante título da Copa do Nordeste se vencer o Ceará na decisão por dois gols de diferença

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Bahia saiu atrás na decisão da Copa do Nordeste, após perder por 1x0 na ida, em Pituaçu. Sábado (8), às 16h, as equipes voltam a se enfrentar, dessa vez no Castelão, em Fortaleza. E o Esquadrão foca em seu poder ofensivo afiado para conquistar o tetracampeonato no torneio regional.

Se o tricolor ganhar por um gol de diferença, leva a disputa aos pênaltis. Para faturar o título direto, é necessário vencer por dois de diferença. A missão é difícil, mas fazer gols é algo que o time já se acostumou. Afinal, a vantagem que precisa é, justamente, a média de gols por partida que tem até aqui.

Ao todo, a equipe principal disputou 15 jogos. Foram dez pelo Nordestão (descontando a primeira partida, quando usou o grupo de transição), três pela Copa Sul-Americana e dois pela Copa do Brasil. No total, o Bahia anotou 36 gols, o que dá a média de 2,4 por duelo.

Manter os números é, portanto, o que o time precisa para superar o Ceará e faturar taça (desde que não sofra gols). Dessa forma, a confiança recai, principalmente, no trio de ataque. Juntos, Gilberto, Rossi e Rodriguinho foram responsáveis diretamente por 17 bolas no fundo da rede, representando 47% dos gols que a equipe fez na temporada.

O camisa 9 é o artilheiro, com oito gols - sete desses no torneio, aparecendo como o goleador da competição. Rossi anotou cinco e Rodriguinho foi o responsável por quatro.

A alta média é embalada, principalmente, pela série de goleadas que o Esquadrão coleciona. Atropelou o Altos por 5x0, Sport e CRB por 4x0, ambos pelo regional, eliminou Campinense por 7x1 e Manaus por 4x1 na Copa do Brasil, não tomou conhecimento do Guabirá na Sul-Americana, com 5x0.

Por outro lado, o Ceará também tem virtudes de sobra. O alvinegro chega como o time que menos levou gol na Copa do Nordeste: teve suas redes vazadas somente três vezes nos 11 jogos realizados. É uma média de 0,27 gol sofrido por compromisso.

O Vozão ainda tem uma enorme invencibilidade no regional: são 23 jogos seguidos sem perder. A última derrota foi nas quartas de final de 2019, contra o Náutico. Ano passado, conquistou o título sem perder nenhuma partida, e tem a possibilidade de conquistar o tricampeonato invicto também em 2021.

Ao Esquadrão, cabe buscar seus gols na revanche e acabar com os bons números do rival. O meia Daniel garante que o elenco está motivado para isso: “A gente tem muita condição de ser campeão, acredita muito nisso. Estamos extremamente motivados e vamos dar o máximo até o final do jogo para conseguir essa taça”.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas