Menina de 4 anos morre ao cair de prédio em Tancredo Neves

salvador
07.06.2021, 19:30:00
Atualizado: 07.06.2021, 19:50:48
((Foto: Nara Gentil/CORREIO))

Menina de 4 anos morre ao cair de prédio em Tancredo Neves

Vizinhos disseram que a vítima se desequilibrou da janela e caiu; mãe está em choque

Uma menina de quatro anos morreu ao cair do segundo andar do prédio onde morava na Rua São Bento, no bairro de Tancredo Neves, em Salvador. Alyssa dos Santos Cerqueira se desequilibrou da janela e caiu no quintal do vizinho, na noite de sábado (4). A criança chegou a ser socorrida para a UPA de Tancredo Neves, mas não resistiu. 

"A menina deu entrada com parada respiratória e trauma, foi atendida, mas não resistiu", diz nota da Polícia Civil enviada ao CORREIO. A PC disse ainda que foram expedidas as guias periciais, e o caso será apurado pela 11ª Delegacia (Tancredo Neves). Já a Polícia Militar disse que não foi acionada para a ocorrência. 

A vítima morava com a mãe, numa casa de dois andares, já no final da rua e próximo ao Bar de Sinésio. O CORREIO esteve no local, mas não havia ninguém no prédio e nem na casa do terreno vizinho, onde a menina caiu. Vizinhos contaram que Alyssa estava sozinha num quarto, ocasião em que a menina usou uma cadeira para chegar na janela. "Ela subiu na cadeira e depois foi para a janela, que estava aberta. A menina se desequilibrou e caiu", contou uma vizinha da vítima. 

A menina caiu do 2º andar do prédio onde morava e não resistiu (Foto: Nara Gentil/ CORREIO)

Alyssa caiu da janela de um dos quartos do fundo do prédio. "Deu para ouvir o desespero da mãe. Era uma menina tão linda, tão fofa, uma criança amável. Todo mundo adorava aquela menina. Que tragédia!", disse a moradora. "Estamos arrasados porque ela era uma menina que todo mundo amava. É difícil alguém não gostar de crianças, mas a menina era ainda mais querida porque ia para todo mundo, supercarinhosa, meiga com outras crianças, não era de ficar fazendo birra, uma joia", declarou outra moradora. 

Perguntada sobre mais detalhes do acidente, sobre as circunstâncias de a menina ter subido na cadeira e alcançado a janela, a vizinhança não soube responder. "Isso aconteceu no sábado à noite e fiquei sabendo só hoje pela manhã. Mas não faço ideia do que possa ter acontecido para a criança ter subido na janela. Não sei se ela estava sozinha no quarto ou se estava com a mãe, que, num descuido, não percebeu a movimentação da criança, que acabou caindo." 

Alyssa morava com a mãe, que não teve o nome revelado pelos moradores. "O que se pode dizer é que a mãe está em estado de choque. Ela era a filha caçula da mãe, que tem outros filhos de relacionamento anteriores. O pai da menina não mora no prédio desde que se separou da mãe há algum tempo. Era a única filha dele. Dizem que ele está destruído com a tragédia", disse outra moradora. Ela contou que horas antes do acidente, havia encontrado com a criança. "Falei com a menina cedo, brinquei com ela. Ela teve uma festinha de aniversário em maio. Uma festa linda. Estou abalada até agora com essa tragédia', declarou.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas