Micareta de Feira tem 33 presos por sistema de reconhecimento facial

bahia
29.04.2019, 14:05:00

Micareta de Feira tem 33 presos por sistema de reconhecimento facial

Dos capturados pela polícia, pelo menos oito eram procurados por homicídio
33 foliões foram presos durante o evento (Foto: SSP/Divulgação)

Graças ao Sistema de Reconhecimento Facial, 33 criminosos foram presos durante a Micareta de Feira de Santana, que terminou neste domingo (28). Um deles é um famoso traficante da região, que costumava posar armado nas redes sociais. Essa foi a primeira vez que o evento, que teve quatro dias de festa, contou com a tecnologia.

Os dados foram apresentados na manhã desta segunda-feira (29), no auditório do Presídio de Feira de Santana, pelo secretário da Secretaria da Segurança Pública (SSP), Maurício Teles Barbosa. De acordo com ele, entre os capturados estão pessoas pelo menos oito pessoas com mandados de prisão em aberto por homicídio. As câmeras também foram usadas no Carnaval de Salvador deste ano e ajudou a prender um folião.

Ao todo, as câmeras espalhadas pelo circuito capturaram os rosto de mais de 1,3 milhão de foliões, com 903 alertas para as unidades policiais instaladas nos trajetos. A segurança da festa realizou 18 mandados, 14 capturas por descumprimento de prisão domiciliar e uma de uma pessoa condenada.

"Me arrisco a dizer que foi o melhor resultado alcançado com este tipo de tecnologia. As equipes estão de parabéns, pois o bom desempenho está diretamente ligado ao empenho incondicional dos policiais", destacou o titular da SSP.

Policiamento
O número de conduzidos por policiais mais que dobrou nesta micareta. Enquanto o ano passado teve 176 conduzidos para os postos policiais, este ano foram 505 pessoas levadas pela segurança da festa. No total, 35 mandados de prisão foram cumpridos - 33 pelo reconheicmento facial e dois por meio da identificação feita por policiais -, além de 11 prisões em flagrante. Uma arma também foi apreendida.

Já no quesito lesões corporais, esta edição da festa teve apenas oito casos - 10 a menos que o ano passado.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas