Moradores carentes recebem apartamentos novos no Costa Azul

salvador
03.08.2020, 11:31:00
Atualizado: 03.08.2020, 11:38:32
(Gil Santos/CORREIO)

Moradores carentes recebem apartamentos novos no Costa Azul

Imóveis foram entregues pelo Governo do Estado nesta segunda-feira (3)

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A diarista Francinete Lima, 45 anos, está morando de aluguel há 1 ano e dois meses, e contava os dias para ter a casa própria. O sonho se realizou na manhã desta segunda-feira (3) quando a trabalhadora recebeu as chaves de uma das 70 unidades do Residencial Recanto Feliz, no Costa Azul. 

O condomínio foi construído com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do Governo Federal, e do governo do estado, sendo 70 apartamentos nessa primeira fase e outros 143 na mesma região do Costa Azul até o final do ano. Essa é a terceira etapa do PAC 1. O programa foi aprovado em 2007, as construções começaram em 2011 e os primeiros imóveis foram entregues em 2013. Até o momento, 575 família foram beneficiadas. Com as 213 unidades que serão liberadas este ano serão 718 apartamentos até o final de 2020.

Francinete morava com os dois filhos de 9 e 14 anos em uma casa de apenas um quarto e sala, cozinha e banheiro, na rua Professor Isaías Alves de Almeida, no Costa Azul. O imóvel estava em uma região precária, sem infraestrutura e com problemas de urbanização.

"Agora, a gente vai morar em um lugar mais organizado, um apartamento de dois quartos e com mais conforto para meus filhos. Estou muito feliz. No começo, foi mais difícil porque a gente está acostumado com a nossa casa, mas agora não vou ter mais vergonha de levar ninguém na minha casa", disse.

Os 70 apartamentos foram distribuídos em quatro blocos, e tem 35 metros quadrados. A construção do Residencial Recanto Feliz  começou em 2019, levou um ano e meio para ficar pronto, e o investimento foi de R$ 5,5 milhões. Já o recurso total, incluindo as 143 unidades que serão entregues até dezembro, foi de R$ 22 milhões.

O governo explicou que as famílias selecionadas são carentes e estão em vulnerabilidade social. A logística é simples, a área é escolhida, os moradores são retirados de casa, e colocados em aluguel social enquanto os apartamentos estão sendo construídos. Já área abandonada recebe intervenções urbanas, como obras de saneamento básico, construção de praça e calçamento, entre outros.

O governador Rui Costa participou da entrega e disse que até dezembro serão entregues mais 143 unidades. "Além da macrodrenagem, pavimentação, vamos também fazer dois parques infantis. Um aqui e outro no outro bloco. Para criar uma ambiência de convivência para crianças e adolescentes", explicou. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas