Motoboy diz que sofreu racismo durante entrega em condomínio na Graça

salvador
14.09.2021, 21:20:00
Atualizado: 14.09.2021, 22:51:29
(Arquivo Pessoal/Eurides Silva)

Motoboy diz que sofreu racismo durante entrega em condomínio na Graça

Segundo Eurides Silva, moradora o acusou de roubo; ele registrou ocorrência em delegacia; após ocorrido, motoboys fizeram 'buzinaço' no local

Um motoboy que trabalha para aplicativos de entrega foi ofendido quando levava um pedido para o condomínio Oito de Dezembro, localizado no bairro da Graça, em Salvador, na noite desta terça-feira (14).

Eurides Silva dos Santos, 29 anos, conhecido como “Gustavo”, contou que foi buscar um pedido no Acarajé da Cira, no Rio Vermelho, e que iria entregar no edifício da cliente.

“Cheguei aqui e informei ao porteiro qual era o apartamento da senhora e [perguntei] se poderia deixar na portaria. Era para a cliente me informar os quatro últimos números do celular. Aí o porteiro disse que ela não queria dar o número e que ela estava falando um monte de coisa para ele e que iria descer”, disse.

Após o ocorrido, colegas de Eurides foram ao local e fizeram um 'buzinaço' na frente do prédio (foto: Reprodução)

O entregador relata que, ao descer, a moradora afirmou que não forneceria os quatro últimos números do seu telefone e o chamou de ladrão. “Ela falou ’você é ladrão e quer comer meu pedido’”, contou.

“O pedido está até aqui agora. Estou com os motoboys aqui na frente da residência dela”, conta Eurides, que está há pouco mais de uma hora fazendo um ‘buzinaço’ no portão do prédio, com seus colegas de profissão. 

Ele ainda informou que foi até a delegacia de Polícia Civil para registrar uma queixa contra a moradora.

A reportagem tentou contato com a moradora, mas até o fechamento desta matéria, não obteve sucesso. 
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas