MP pede que polícia abra inquérito contra empresário que ignorou quarentena

bahia
19.03.2020, 09:01:00
Atualizado: 19.03.2020, 09:01:11
(Reprodução)

MP pede que polícia abra inquérito contra empresário que ignorou quarentena

Infectado com coronavírus, Cláudio do Vale saiu de SP e foi para Trancoso, onde contaminou 3 pessoas

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Ministério Público da Bahia solicitou a abertura de um inquérito policial para apurar a conduta do empresário Cláudio Henrique do Vale, que ignorou as recomendações de quarentena e viajou a Trancoso, mesmo após ter sido diagnosticado com o coronavírus. O empresário já vai ser processado pelo governo do estado da Bahia.

O documento foi enviado nessa quarta-feira (18) pela promotora de Justiça Michelle Roberto Souto ao delegado titular da 2ª Delegacia Territorial de Porto Seguro, Valfredo Borges Lima Neto. A solicitação foi baseada na representação da Procuradoria-Geral do Estado (PGE).

Segundo a PGE, Cláudio fez o exame na cidade de São Paulo, no Hospital Albert Einstein, no último dia 11, com confirmação do resultado positivo. No dia seguinte, viajou para o distrito de Trancoso, em Porto Seguro, em aeronave particular, acompanhado de 15 pessoas. Permaneceu no local, numa casa de praia, por “alguns dias”, sem qualquer isolamento, junto à esposa e filha, outros familiares, amigos e nove funcionários. Após o contato, foi constatada contaminação do coronavírus em duas pessoas que estiveram com Cláudio Henrique.
 
No documento, a promotora de Justiça Michelle Souto pede que sejam identificados e ouvidos todos os funcionários que trabalharam na residência de veraneio, médicos que atenderam Cláudio Henrique, agentes de vigilância epidemiológica do município, piloto e co-piloto da aeronave e demais pessoas que tiveram contato direto com ele, como atendentes da praia. 

Defesa
O advogado do empresário Cláudio Vale diz que seu cliente não sabia da doença. De acordo com o advogado, que não quis divulgar seu nome, Vale estava assintomático, mas outros presentes ao casamento de Marcella Minelli, dia 7, em Itacaré, onde ele esteve, como a influencer Gabriela Pugliesi, irmã de Marcella, testaram positivo para a doença, o que ocorreu também depois com a cantora Preta Gil. Vale fez o exame para o coronavírus no Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Pelas recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), os convidados do casamento deveriam ficar em isolamento domiciliar, contudo isso só foi regulamentado no Brasil em 12 de março (dia em que o empresário viajou para a Bahia), quando o Ministério da Saúde publicou no Diário Oficial da União a Portaria nº 356.

Pela portaria, o isolamento deve ocorrer como medida de precaução para evitar que o novo coronavírus se espalhe no país. Ele visa conter e separar pessoas que forem classificadas como caso suspeito, confirmado, provável (contato íntimo com caso confirmado), portador sem sintoma e contactante de casos confirmados.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas