Mulher é internada após ser atacada por aranha no bairro da Federação

salvador
04.01.2022, 14:29:00

Mulher é internada após ser atacada por aranha no bairro da Federação

Ela apresenta infecções e não consegue andar

Uma mulher foi internada após sofrer uma picada de aranha no bairro da Federação, em Salvador. O caso aconteceu na madrugada de domingo (2).

Identificada como Ana Beatriz Santos, a mulher estava dentro de casa quando foi picada na perna pelo animal, uma aranha marrom. Ela começou a ter febre alta e muita dor, e logo foi socorrida para o Hospital Teresa de Lisieux, onde foi detectada também uma inflamação abdominal. 

A mulher conta que chegou à unidade de saúde com dificuldade também para andar. “Fui mordida por uma aranha tipo marrom, na madrugada de sábado para domingo. Desde então estou aqui internada porque o veneno percorreu minha corrente sanguínea e deu inflamação no meu abdômen e na perna. Ela me picou na perna, na coxa. Não estou conseguindo andar ainda. Sinto muitas dores, e estou tendo febre, dores de cabeça, entre outras dores”, disse em entrevista à TV Bahia. 

De acordo com o coordenador do Centro de Informação e Assistência Toxicológica da Bahia (Ciatox), Jucelino Nery, em casos como esses, o indicado é que a vítima tire uma fotografia da aranha para auxiliar os profissionais de saúde. Segundo ele, as aranhas mais perigosas e que podem ser encontradas na capital baiana são as das espécies Marrom e Armadeira.

Na Bahia, há 749 notificações de picadas de aranha no ano de 2021. O recomendado nesse casos é a busca imediata por Unidades de Saúde ou ir ao Ciatox, no Hospital Geral Roberto Santos, no bairro do Cabula.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas