Na estreia de Rodriguinho, Bahia bate o Confiança na Fonte Nova

e.c. bahia
07.03.2020, 17:55:00
Atualizado: 07.03.2020, 22:06:03
Gilberto festeja o único gol do Bahia no jogo (Arisson Marinho/ CORREIO)

Na estreia de Rodriguinho, Bahia bate o Confiança na Fonte Nova

Time principal tricolor fez o placar mínimo para sair com os três pontos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

No primeiro jogo da rodada dupla deste sábado (7), na Fonte Nova, o Bahia recebeu o Confiança pela sexta rodada da Copa do Nordeste. E o torcedor tricolor que compareceu ao estádio não se decepcionou. O time venceu por 1x0, gol contra marcado por Matheus Mancini, e chegou ao terceiro jogo consecutivo sem perder na competição. Em seis rodadas até agora, foram três triunfos, um empate e uma derrota. O confronto também marcou a estreia do meia Rodriguinho, que entrou no segundo tempo e teve boa participação. 

Na próxima rodada do Nordestão, o time do treinador Roger Machado vai enfrentar o América de Natal no próximo sábado (14), às 20h, na Arena das Dunas. 

O Bahia entrou em campo com um grande desafio: quebrar a invencibilidade do Confiança no Nordestão. Até a bola rolar, a equipe sergipana tinha quatro vitórias e um empate em cinco partidas, com 10 gols marcados e apenas três sofridos. Antes do apito inicial, surpresa na escalação tricolor. O zagueiro Lucas Fonseca sentiu dores na coxa e foi vetado pelo departamento médico. O escolhido para a vaga foi Wanderson. 

Com a redonda em jogo, foi o Esquadrão que tomou a iniciativa da partida. Logo com cinco minutos, polêmica. Rossi recebeu passe na entrada da grande área e foi derrubado por Nirley. Apesar das reclamações, o árbitro potiguar Caio Vieira mandou o duelo seguir. 

Rossi fez um bom primeiro tempo e reclamou de pênalti não marcado (Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)

Apesar de ter mais posse de bola, o Bahia encontrou dificuldades para furar o bloqueio defensivo do Confiança. Bem postado, o adversário não dava espaços, principalmente ao centroavante Gilberto, que foi pouco acionado. Em contrapartida, o Dragão só chegava ao ataque em falhas da defesa azul, vermelha e branca. Numa delas, Wanderson tocou forte demais, Juninho rebateu e, por pouco, Mikael não aproveitou. Anderson saiu do gol para tranquilizar. 

O tricolor voltou a aparecer com perigo aos 34 minutos, quando Élber saiu costurando a zaga e a bola sobrou para Gilberto. O camisa 9 tentou o chute e foi travado pela marcação. Rossi, que estala livre de marcação, reclamou. 

Logo depois, aos 36, Gilberto estava livre e recebeu a bola após a roubada de bola de Gregore. Ele chutou forte e Rafael Santos defendeu. Três minutos depois, uma chance ainda mais clara. Élber deu uma casquinha de cabeça e Gilberto saiu cara a cara com o goleiro. Chutou rasteiro e Rafael fez mais uma ótima defesa, para desespero dos torcedores nas arquibancadas. 

Gilberto se irrita após perder duas chances claras de gol (Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)

Ao final do primeiro tempo, a torcida presente na Fonte reagiu ao primeiro tempo em branco: vaias e tímidos aplausos. Gilberto resumiu bem o que aconteceu. "Faltou fazer o gol, não tem outra definição. Precisamos acertar isso para buscar o triunfo no segundo tempo", disse o centroavante. 

Segundo tempo

Na volta do intervalo, as equipes continuaram com as mesmas escalações. Somente dois minutinhos foram suficientes para o clima mudar no estádio. Juninho Capixaba partiu em velocidade pelo lado esquerdo e cruzou rasteiro para a pequena área. O zagueiro Matheus Mancini, filho do treinador Vagner Mancini, tentou se antecipar a Gilberto e acabou colocando a bola contra a própria meta: 1x0 e torcida em festa. 

Jogadores do Bahia comemoram o gol em lance individual de Juninho Capixaba (Foto: Felipe Oliveira/ EC Bahia)

Quatro minutos depois, quase a rede balançou novamente. Rossi caiu com liberdade pela ponta direita e cruzou com categoria para Clayson, sozinho, mandar de cabeça para fora e arrancar o grito de 'uhhh' da torcida. 

A Fonte Nova voltou a se animar pouco tempo depois, mas, dessa vez, o motivo era outro. Principal contratação do clube no ano, o meia Rodriguinho foi chamado por Roger Machado e entrou no lugar de Clayson. 

Sem poder de reação, o Confiança tentava apostar nos contra-ataques para buscar o empate. Só que faltava inspiração e a quantidade de passes errados prejudicou o rendimento do ataque. 

Aos 29 minutos, faltou um triz para Rodriguinho fazer o gol. Em boa tentativa, João Pedro deu o passe e o camisa 10 mandou forte, de primeira, só que a bola passou por cima do gol. O meia acabou sendo atrapalhado pela marcação. 

O Bahia seguiu em ritmo intenso. Rodriguinho apareceu com inteligência e, só com um passe, tirou dois rivais da marcação e encontrou Élber, que ligou o motor no turbo e só parou dentro da área. O chute de perna esquerda, entretanto, parou no peito do goleiro Rafael Santos. 

Arthur Caíke e Fernandão ainda entraram nos lugares de Rossi e Gilberto. Porém, o tricolor não conseguiu ampliar o marcador. Estava de bom tamanho. Mais três pontos na tabela e, de quebra, o Esquadrão tirou a invencibilidade do Confiança na Copa do Nordeste.  


Ficha técnica: Bahia 1x0 Confiança

Estádio: Arena Fonte Nova, em Salvador

Bahia: Anderson, João Pedro, Wanderson, Juninho e Juninho Capixaba; Gregore e Flávio; Rossi (Arthur Caíke), Élber e Clayson (Rodriguinho); Gilberto (Fernandão). Técnico: Roger Machado

Confiança: Rafael Santos, Thiago Ennes, Nirley, Matheus Mancini e Dudu; Amaral, Jeferson Lima e Rafael Vila (Iago); Reis, Ítalo Melo (Renan) e Mikael (Marcelinho). Técnico: Matheus Costa

Gol: Matheus Mancini (contra), aos 2 minutos do 2º tempo 

Cartão amarelo: Flávio (Bahia); Iago e Matheus Mancini (Confiança)

Público: 29.304 pagantes.

Renda: R$ 544.720,00.

Arbitragem: Caio Max Augusto Vieira, auxiliado por Lorival Cândido das Flores e George Italo Antas Nogueira. Trio é do Rio Grande do Norte.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas