‘Não tinha com quem deixá-la’, diz pai que levou filha em trabalho de delivery

em alta
18.08.2020, 23:03:00
Atualizado: 18.08.2020, 23:03:38

‘Não tinha com quem deixá-la’, diz pai que levou filha em trabalho de delivery

Alessandro, 25, contou como tomou precauções para proteger filha em Belém

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Foto: Reprodução

O entregador Alessandro Medeiros, 25 anos, viralizou ao aparecer em uma foto fazendo entregas de bicicleta com a filha de quatro anos sentada no quadro. O clique foi feito no mês passado por uma guarda municipal em Belém, no Pará, e repercutiu nas redes sociais nos últimos dias.

Ao site Crescer, o jovem, que não está atuando num emprego formal, explicou que não tinha com quem deixar a menina e precisava trabalhar. Ele garantiu também que tomou algumas precauções para evitar que algo a prejudicasse.

“A minha esposa trabalha fora o dia todo e, como estou desempregado, deixo o aplicativo de entregas ligado. Nesse dia, começou a tocar bastante e eu precisava trabalhar, mas não tinha com quem deixá-la. Então, arrumei a roupinha dela, passei protetor solar, a garrafinha de água, máscara e fomos”, recorda.

Ao todo, Alessandro fez cinco corridas por aplicativo com a filha, que tem uma cadeirinha especial para aumentar a segurança no trajeto. 

O pai ainda contou que tem um kit de proteção, com álcool gel, para evitar ser contaminado pelo novo coronavírus.

“Antes da pandemia ela ficava na escola enquanto eu fazia entregas. Mas agora, com a escola parada, não tem jeito. Não posso deixar ela com meus pais porque eles tiveram covid-19 e a gente tem medo de eles ainda estarem transmitindo a doença”, relatou.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas