No Uruguai, Bahia encara o Torque pela estreia na Sul-Americana

e.c. bahia
21.04.2021, 05:00:00
Com Rossi suspenso, Oscar Ruiz é o mais cotado para começar o duelo contra o Torque (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

No Uruguai, Bahia encara o Torque pela estreia na Sul-Americana

Tricolor entra em campo nesta quarta-feira (21), às 21h30

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O sonho de conquistar um torneio internacional vai recomeçar hoje para o Bahia. Em Montevidéu, capital do Uruguai, o tricolor enfrenta o City Torque, às 21h30, no estádio Parque Viera, na estreia na Copa Sul-Americana.

Em sua oitava participação na Sula, o tricolor está no grupo B da reformulada competição e tem pela frente um time que surge como a incógnita da chave. Apesar de modesto, o Torque é uma das franquias do Grupo City e tem recebido grande aporte financeiro.

Mesmo fora de casa, o zagueiro argentino Germán Conti sabe que o triunfo na estreia é essencial para largar bem no torneio, já que apenas o líder de cada grupo avança para a fase oitavas de final. Além de Bahia e Torque, a chave conta com Independiente, da Argentina e Guabirá, da Bolívia.

“Temos que enfrentar cada jogo como uma final. Só um classifica, então todos os pontos servem. Estamos aqui para vencer, para iniciar bem a competição, mas com os pés no chão. É trabalhar e continuar com os bons resultados”, afirmou o defensor.

Em início de ciclo no Bahia, o defensor se consolidou na equipe titular e, junto com o também recém-contratado Luiz Otávio, tem conseguido dar mais solidez ao sistema defensivo. Apesar dos bons resultados conquistados nas Copas do Nordeste e do Brasil, Conti chama a atenção para o estilo de jogo mais físico que aguarda na Sul-Americana.

“Sabemos que os times uruguaios são fortes, gostam de ter muito contato físico. A gente vai fazer o nosso jogo: ter a bola, ser intenso, estar concentrados, levar o time adversário para o campo deles, agredir com a bola. Temos que fazer o nosso trabalho, independente do adversário. Estamos muito confiantes no time, sabemos que temos que melhorar e estamos em busca da evolução”, explicou.

Em meio à maratona de jogos decisivos que o Bahia tem encarado, Dado Cavalcanti não pretende fazer muitas mudanças no time. A ideia é manter a estrutura para adquirir entrosamento o mais rápido possível.

Nesse cenário, a única alteração da equipe titular será no ataque. Rossi, suspenso pela expulsão na eliminação contra o Defensa y Justicia, no ano passado, está fora de combate. A ausência abre espaço para que Oscar Ruiz ganhe a sua primeira chance como titular.

O paraguaio mostrou estrela na estreia e balançou as redes segundos depois de entrar em campo na partida contra o ABC, pelo Nordestão. Agora, além da velocidade pelos lados do campo, Ruiz pode contribuir também com experiência.

Apesar de ter feito a maior parte da carreira no Paraguai, o camisa 11 acumula histórico de participações em Sul-Americana e Libertadores. E os números são positivos. Ruiz soma 38 jogos internacionais por clubes com 19 vitórias, dez empates e nove derrotas. Foram cinco gols marcados por Sportivo Luqueño. Deportivo Capiatá e Cerro Porteño.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas