'Nós não tivemos competência para fazer o gol', admitiu Wagner Lopes

e.c. vitória
02.11.2021, 19:23:00
Wagner Lopes, técnico do Vitória, durante jogo contra o CSA, no Barradão (ARISSON MARINHO / CORREIO)

'Nós não tivemos competência para fazer o gol', admitiu Wagner Lopes

Técnico do Vitória defende Roberto e pede desculpas à torcida após derrota para o CSA

Pela primeira vez, o técnico Wagner Lopes amargou uma derrota diante do torcedor do Vitória. O rubro-negro ainda não havia perdido no Barradão após a reabertura do estádio ao público. Na tarde desta terça-feira (2), ele experimentou essa sensação e tratou de pedir desculpas aos rubro-negros depois da derrota por 1x0 para o CSA. O jogo foi válido pela 33ª rodada da Série B do Brasileiro. 

"Agradecer ao nosso torcedor pelo apoio. Pedir desculpas. Nós não tivemos competência para fazer o gol, para empatar e, depois, virar. Chutamos a gol 27 vezes. Infelizmente, acertamos poucas. Com a superioridade numérica, a gente sempre fala de criar situações de superioridade, triangulações, entrar pelas beiradas, movimentação, aproximar para jogar, para construir a finalização, finalizar melhor, acertar o gol nas finalizações", afirmou o treinador.

O gol foi marcado por Iury Castilho aos 32 minutos do 1º tempo. Aos 22 do 2º, o Vitória ficou com um jogador a mais em campo, quando Éverton Silva fez falta em Roberto e foi expulso de campo. 

"Conforme o tempo foi passando, a gente aumentou o ritmo, mas o nervosismo tomou conta. E nós não tivemos calma para empatar o jogo. É pedir desculpa. Dizer que não está faltando vontade. Os jogadores lutaram, mas, infelizmente, nós não conseguimos usar a condição de ter um a mais para poder envolver o adversário e fazer o gol", admitiu Wagner Lopes.

O técnico também saiu em defesa do lateral esquerdo Roberto, que desperdiçou uma cobrança de pênalti aos sete minutos da etapa final. 

"O fato de ele ter errado o pênalti... Quem nunca bateu é que nunca errou. É um líder, que tem o gesto técnico muito bom, uma liderança muito positiva. Vem treinando bem, jogando bem. No meu entendimento, o Renan (Luís) também é uma opção. Mas o problema não foi ali. Nosso problema foi de ter calma, de circular melhor a bola. Você não pode colocar tudo nas costas de um só jogador. E a responsabilidade é minha. Achei que o Roberto poderia e pode nos ajudar muito", disse Wagner Lopes.


"Neste jogo, o nervosismo, nós não conseguimos caprichar nesse cruzamento, para envolver, para fazer triangulações. Mas é um cara em quem eu confio, que vem fazendo bons jogos. Na parte defensiva, também sabe fechar a linha de quatro, se posicionar bem. O Renan também vem bem. Eles vêm brigando de igual para igual. Uma disputa leal. Claro que a gente pensa em usar o Renan sempre que a gente achar necessário", completou.

O Vitória volta a campo já na sexta-feira (5), às 19h, quando visita o Avaí, na Ressacada, em Florianópolis, pela 34ª rodada da Série B do Brasileiro.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas