O mercado quer saber: do you speak english?

empregos
24.05.2021, 06:00:00
Pesquisa mostrou que apenas 5% da população falam inglês e isso se reflete numa perda de competitividade na economia (Shutterstock/reprodução)

O mercado quer saber: do you speak english?

Dominar mais de uma língua estrangeira é fundamental  para fazer negócios e ter as melhores oportunidades de trabalho

Uma pesquisa realizada pela British Council apurou que apenas 5% dos brasileiros falam inglês e somente 1% da população possui fluência na língua. Segundo dados da 7Waves, cerca de 40% das pessoas que estabeleceram metas para 2021, sinalizaram o desejo em aprender inglês. 

No mundo corporativo, o panorama é particularmente preocupante quando se pensa que, num mundo globalizado, os negócios romperam as barreiras geográficas e as transformações digitais, potencializadas com a pandemia, mostraram a extrema necessidade de dominar línguas estrangeiras, especialmente o inglês. 

A consultora de carreira na LHH Cristiane Mazotto diz que nada é mais atual e importante do que saber comunicar-se em uma língua estrangeira. “No caso do inglês, essa é a língua mais usada na internet para comunicação global. Os profissionais que dominam uma língua estrangeira, principalmente o inglês, ampliam as suas possibilidades de atuação, tendo em vista o aumento dos trabalhos remotos onde as empresas podem reunir profissionais de várias partes do mundo para formarem seus centros de inovação”, salienta.

Cristiane diz que a lacuna na formação dos profissionais brasileiros acaba trazendo desvantagens do ponto de vista de competitividade internacional. “A importância atual do inglês na comunicação global já fez vários países implantarem um sistema bilíngue em suas escolas para que as crianças desenvolvam, desde cedo, habilidades para serem cidadãos globais”, esclarece. 

Competitividade

Enquanto essa não se torna uma realidade nas escolas brasileiras, os profissionais precisam tomar consciência da importância de aprender idiomas para o desenvolvimento da sua carreira e buscar formações que sejam adequadas as suas necessidades e perfil. “Como todo aprendizado novo é preciso trabalho duro, intencionalidade e persistência. Isso passa por frequentar aulas, estudar e ter contato com o idioma um pouco todos os dias, seja através de filmes, textos ou interações via internet. Uma ótima dica é ter claramente definido o porquê esse aprendizado é importante para você, estabelecer metas de aprendizagem de curto prazo e celebrar as pequenas conquistas”, orienta, pontuando que é importante estar aberto a essas novidades e explorar formas mais criativas de se atualizar.

O professor de inglês Martin Dowling lembra que a fluência é consequência de muito estudo e dedicação. “Tive alunos que começaram do 0 e atingiram a fluência, conquistando melhores oportunidades no trabalho e na vida”, conta. Para ele, a melhor estratégia para alcançar a meta de aprender uma nova língua é estudar, seja através de aplicativos, sites e vídeos disponíveis na internet. “É uma meta que leva tempo para se concretizar, mas o resultado é possível e compensador”, defende Dowling. 
Ele destaca que se há recursos para investir, a melhor alternativa é buscar o auxílio de um professor particular, onde a aula é personalizada e 100% voltada para o objetivo do aluno. Para quem já tem algum conhecimento, a orientação é participar de grupos na internet  ou utilizar sites que possibilitam uma interação maior entre estrangeiros, funcionando como uma rede social capaz de ampliar a fluência na língua. 

Cristine lembra que a internet também oferece vários aplicativos disponíveis em versão gratuita com um plano limitado e recursos extras que são pagos, alguns possuem estrutura colaborativa para convidar amigos para fazerem o curso juntos e funcionam em formato de jogo, a exemplo do Busuu, o Duolingo e o Memrise. “Tem também o Forvo, que é um dicionário de pronúncia para vários idiomas”, sugere. 

A consultora de carreiras também lembra o papel de algumas consultorias inovadoras no mercado, que desenvolvem projetos de acordo com os objetivos, as necessidades e o estilo de aprendizado de cada pessoa, definindo um método e um plano de curso personalizados. “Se o profissional tem possibilidade, não posso deixar de os intercâmbios, que tendem a facilitar e agilizar o aprendizado porque incluem contexto ao processo. As pessoas quando estão no intercâmbio têm uma maior necessidade de compreender e se expressar, as interações impactam todos os sentidos e o aprendizado está inserido em um contexto específico”, finaliza. 


Onde estudar?


Algumas instituições que fornecem cursos de inglês gratuito:
•    A BBC (British Broadcasting Corporation), 
•    O MOOC (Massive Open Online Courses) um dos programas da instituição British Council do Reino Unido
•    A Cambridge University por meio da instituição parceira Cambridge English
•    O ESOL Courses 
•    O  edX que foi criado por Harvard e pelo MIT.

Links para apoiar o aprendizado online:
•    Youtube: Ask Jackie e o SmallAdvantages, em ambos há muito conteúdo prático de conversação no dia-a-dia, dicas, conteúdo gramatical e até curiosidades sobre a cultura americana;
•    Exercíciospráticos: https://www.newsinlevels.com ,
•    Artigo com dicas: https://www.fluentu.com/blog/english/learn-english-esl-youtube/  

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas