Olhar para frente com energia limpa, ou voltar à época do candeeiro de querosene?

artigo
14.10.2021, 05:24:00
Atualizado: 14.10.2021, 09:48:58

Olhar para frente com energia limpa, ou voltar à época do candeeiro de querosene?

Um assunto relevante para toda sociedade, sobretudo para o setor energético, principal responsável pela emissão de carbono na atmosfera. Esse é um dos motivos da urgência para a implementação de medidas sustentáveis, com investimentos em energia limpa.


É urgente que a sociedade incorpore essa pauta e comece a demandar medidas estratégicas para o tema, afinal o poder público atua a partir da vontade do povo. Quando a sociedade estiver decidida a utilizar apenas energia limpa e cobrar por isso, as coisas mudarão para melhor. O caminho é a energia eólica e solar, fontes inesgotáveis, gratuitas, que não lançam gases tóxicos no meio ambiente, não influencia no aquecimento global e não causam impactos no ecossistema, como ocorre com as hidrelétricas, que mesmo sendo fontes renováveis, não são sustentáveis porque causam alagamentos e compromete a fauna e a flora.

Considero uma inversão de valores o uso de combustível fóssil, quando todos já são conscientes sobre a sustentabilidade. A gente vê avanços como a fabricação de veículos híbridos, ao mesmo tempo em que assiste à ampliação do uso de energia através da queima de óleo diesel. É como se voltássemos no tempo em que usávamos candeeiro de querosene. É justamente isso que está ocorrendo. O Brasil está usando usinas termelétricas a base de diesel, que são altamente poluentes, de custo elevado e impacta na conta de luz do contribuinte.

Contudo, enxergo um horizonte de mudanças na Bahia, que é um vetor importante para consolidação dessa transição energética que o país precisa. A Bahia se consolida no topo do ranking do setor renovável e nós temos a satisfação de fazer parte desse cenário. E o caminho para o futuro do Brasil está em optarmos por energia através de fontes limpas e renováveis, que são saudáveis para o ecossistema, geram emprego e transforma economicamente a vida das cidades.

Por fim, destaco o cenário de crescimento do setor de energia renovável na Bahia, estado escolhido pela Quinto Energy para desenvolver os projetos de implantação de Complexos Híbridos, que conciliam energia eólica e solar. Todos os nossos projetos estão sendo desenvolvidos em solo baiano, e são todos de grande porte. Para se ter uma ideia, os dois maiores complexos em fase de desenvolvimento do país são da Quinto. Quando a gente escolhe a Bahia para desenvolver os projetos, a gente garante ao estado que todo investimento ficará aqui na Bahia durante todas as fases do complexo, desde o início, que é a nossa fase de desenvolvimento, na etapa de construção e depois quando o parque entra em operação.

Rafael Cavalcanti é advogado, mestre em Regulação da Indústria de Energia e CEO da empresa Quinto Energy
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas