Onde tem vaga: pequenos são responsáveis pela geração de 17.620 postos de trabalho

minha bahia
16.04.2018, 05:38:00
Atualizado: 16.04.2018, 12:22:46
A criação de postos de trabalho no país pelas MPEs acumula 142,9 mil empregos no 1º bimestre (Foto: Mauro Akin Nassor/ Arquivo Correio)

Onde tem vaga: pequenos são responsáveis pela geração de 17.620 postos de trabalho

Na Bahia, enquanto as micro e pequenas empresas ampliaram a geração de vagas, as médias e grandes demitiram 14.601 profissionais

A capacidade de se adaptar a diversas funções, ser versátil e proativo são as principais características do perfil do profissional que as pequenas e micro empresas buscam. Segundo o presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-BA), Cézar Almeida, é cada vez  maior o potencial de geração de vagas nos pequenos negócios. “O profissional tem que ter a habilidade de ser versátil, flexível. Nas pequenas e micro empresas, a departamentação é menor e com isso é necessário assumir diferentes funções. Isso leva à contratação de profissionais mais proativos e com um conhecimento mais amplo”.

E ele tem razão. Segundo um levantamento feito pelo Serviço de Apoio a Micro e Pequena Empresa (Sebrae) com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), a criação de postos de trabalho no país pela micro e pequena (MPE) empresa acumula 142,9 mil postos no primeiro bimestre, 32% superior do que no mesmo período do ano passado.  Grandes corporações começaram o ano demitindo, enquanto as MPEs ampliaram em 100% a geração de vagas formais em comparação a janeiro de 2017. As médias e grandes apresentaram saldos negativos de 4,5 mil vagas  e de 8,9 mil demissões.  

Na Bahia,  o cenário não é diferente. O estado ocupa a 6ª posição na geração de novos postos de trabalho no país e o primeiro na Região Nordeste. Em 2017,  as MPEs baianas geraram 17.620 empregos. As médias e grandes, ao contrário, demitiram 14.601 profissionais no mesmo período. 

Oportunidade

A capacidade de sair mais rapidamente da crise tem colocado os pequenos negócios no radar de quem está em busca de uma oportunidade de trabalho.  Para o gerente regional do Sebrae em Salvador, Rogério Teixeira, a estrutura mais enxuta e  a maior facilidade de adequação contam a favor dos pequenos. 

Os dois setores que estão empregando mais são as indústrias e os serviços – este último, principalmente, nos negócios de alimentação e beleza. “São as atividades que quando volta o consumo as pessoas ficam dispostas a investir mais e retornam a hábitos anteriores”, explica. 

Cresce o negócio, cresce também o volume de oportunidades. Localizado no bairro de Stella Maris, a expansão do Salão Beauty Experience para uma nova unidade inaugurada na Barra estimulou a oferta de vagas para cabeleireiro, maquiador, depiladora e terapeuta capilar. A empresa ainda está recebendo currículos no e-mail salaoviniciusb@gmail.com. Segundo o sócio do salão, Vinicius Braga, nove funcionários fazem parte da equipe. 

“Cada um que entra no time aumenta o crescimento que, com muito trabalho, gera novas vagas”. Também é importante que o profissional tenha criatividade e capacitação técnica. “Procuramos, além disso, pessoas do bem e apaixonadas pelo que fazem, como nós”, completa. 


REESTRUTURAÇÃO DO NEGÓCIO


Sócio Higiclean, Pedro Passos identificou oportunidades na crise e com isso gerou até novos postos de trabalho
(Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)

Pedro Passos, sócio da Higiclean   A nossa empresa de distribuição de material de limpeza passou por uma readaptação, quando o outro braço do negócio - a Passos Log, que atuava no setor de representação comercial - perdeu um dos seus maiores contratos. Para não fecharmos, remanejamos todos os funcionários da Passos Log para a Higiclean sem demitir ninguém. Também passamos a prestar serviços de limpeza e, com isso, contratamos mais uma pessoa para executar esse serviço. A gente precisava se reinventar depois de perder esse contrato. Era muito grande. A partir daí, identificamos a oportunidade de novas receitas dentro do negócio que nós já atuávamos. Com isso, conseguimos sustentar a empresa e até gerar novos postos de trabalho. Temos atualmente seis funcionários. São profissionais que precisam ser multifuncionais para acompanhar todas essas adaptações, ter muita proatividade e boa vontade. Meu encarregado, por exemplo, precisou assumir algumas funções administrativas que iam além do estoque, como a programação do pagamento de contas. Essa habilidade de saber de tudo um pouco é fundamental.