Ônibus são queimados na zona rural de Ilhéus após deixar passageiros a pé

bahia
08.01.2019, 14:19:00
Atualizado: 08.01.2019, 15:03:25
(Divulgação)

Ônibus são queimados na zona rural de Ilhéus após deixar passageiros a pé

Segundo a Polícia Civil, povoado ficou revoltado com suposto descaso

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Dois ônibus foram incendiados na zona rural de Ilhéus na noite desta segunda-feira (7), após os passageiros ficarem no meio do caminho por dois dias seguidos, devido a problemas mecânicos nos veículos. Não houve feridos e ninguém foi preso.

O crime ocorreu nas imediações do povoado de Itariri, a 24 k de Ilhéus. A Polícia Civil apurou que moradores do povoado ficaram revoltados com o suposto descaso da empresa São Miguel, concessionária do transporte municipal na área. Isso porque os passageiros que estavam no ônibus foram obrigados a concluir o trajeto a pé - andaram cerca de 4 km para chegar a Itariri.

O primeiro ônibus quebrou no domingo (6), quando saiu de Ilhéus em direção a Itariri. No dia seguinte, outro veículo, que fazia o mesmo percurso, também quebrou por volta das 15h. Às 19h, um outro ônibus chegou ao local para prestar socorro e substituir o quebrado. Foi quando pessoas se aproximaram e queimaram os dois veículos.

“Quando o outro ônibus chegou pra fazer a reposição, os populares atacaram e botaram fogo nos dois”, informou o delegado Evy Paternostro, coordenador da 7ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Corpin).

“Apuramos também que o crime não tem relação com criminosos ou facções. Foi um ato isolado de parte da comunidade que ficou revoltada com a prestação do serviço na região”, completou o delegado, que investiga a autoria do crime.

O CORREIO tentou contato com a empresa São Miguel, mas ninguém atendeu aos telefonemas. Em nota, a Associação Profissional das Empresas de Transporte de Passageiros de Ilhéus (ATRANSPI) repudiou o ato criminoso.

“O episódio causa indignação e prejudica toda a população que necessita do serviço de transporte coletivo. A ocorrência de problema mecânico com o veículo, na tarde de hoje – cujas providências foram tomadas, não constitui motivo para a depredação e incêndio dos ônibus que prestam serviço à própria comunidade”, diz a nota.

Procurada para comentar sobre o crime e a prestação do serviço de transporte aos moradores do povoado do Itariri, a Prefeitura de Ilhéus não havia respondido até o fechamento desta reportagem.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas