Ônibus voltam a circular em Paripe após quase 24h

salvador
01.06.2021, 20:31:00
Atualizado: 01.06.2021, 20:35:13
(Foto: Nara Gentil/CORREIO)

Ônibus voltam a circular em Paripe após quase 24h

No entanto, Rodoviários continuam sem entrar no bairro de Fazenda Coutos

Os ônibus voltaram a circular em um dos dois bairros onde foram registrados incêndios de coletivos na última segunda-feira (31). Após o reforço policial, os rodoviários voltaram a levar os veículos até o final de linha de Paripe. Em Fazenda Coutos, no entanto, a situação segue a mesma, de acordo com a Secretaria de Mobilidade de Salvador (Semob). A expectativa é de normalização a partir da próxima quarta-feira (2).

Houve uma reunião entre Sindicato dos Rodoviários e Polícia Militar. Os trabalhadores pediram uma unidade móvel de segurança no local para tentar inibir novos incêndios contra os ônibus.

De acordo com a Semob, em Fazenda Coutos, os ônibus passam direto pela BA-528, conhecida como Estrada do Derba, para retornar pelo bairro de Águas Claras. A segunda opção é o retorno pela Avenida Suburbana. O final de linha do bairro está provisoriamente operando em Vista Alegre.

Normalizada a situação em Paripe, os usuários podem voltar a pegar o ônibus no final de linha, próximo à antiga Escola de Menor. Antes, os ônibus retornavam na rotatória próximo ao Centro de Abastecimento.

Ônibus foi incendiado na Rua Mourão de Sá, em Paripe (Foto: Leitor CORREIO)

Relembre o caso
Dois ônibus pegaram fogo em bairros bem próximos no início da tarde da última segunda-feira (31), um no bairro de Fazenda Coutos e outro em Paripe, na Rua Mourao de Sá. As ações aconteceram praticamente de forma simultânea, de acordo com a Polícia Militar. Ninguém ficou ferido e o fogo foi debelado pelo Corpo de Bombeiros. 

A Polícia investiga a ligação entre os incêndios e a a morte do traficante conhecido como Todynho. Ele tinha fama por ações sádicas, como filmar as execuções que comandava na região e foi morto no último sábado (29) por equipes das Rondas Especiais (Rondesp) da Polícia Militar. 

Até o momento, um homem foi preso acusado de envolvimento com os incêndios. Ele foi capturado na Rua Theotônio Vilela, mesma rua em que Todynho foi morto, e tinha em mãos um coquetel molotov. Apresentado na Central de Flagrantes, ele tinha mandado de prisão em aberto por cárcere privado. Um outro homem é buscado pela Polícia Civil, acusado de envolvimento com os incêndios

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas