Ônibus voltam a circular no Nordeste, Santa Cruz e Vale das Pedrinhas

salvador
30.10.2017, 08:07:00
Atualizado: 30.10.2017, 15:41:02

Ônibus voltam a circular no Nordeste, Santa Cruz e Vale das Pedrinhas

Serviço estava suspenso deste a noite de quarta (25), após coletivo ser queimado

Os ônibus voltaram a circular nos bairros de Nordeste de Amaralina, Santa Cruz e Vale das Pedrinhas, no começo da manhã desta segunda-feira (30). Os coletivos ficaram sem entrar nos bairros durante quatro dias, após um ônibus ter sido queimado na Santa Cruz, em protesto pela morte de Erivelton Santana dos Santos, 22 anos, em confronto com a polícia.

Ônibus circulam normalmente no Nordeste de Amaralina nesta segunda (Foto: Tailane Muniz/CORREIO)

Mesmo a polícia tendo garantido o reforço do policiamento, logo após o incidente, os rodoviários alegaram que não estavam se sentido seguros para circular nos bairros. Durante este período, os ônibus da Santa Cruz usaram como final de linha o Parque da Cidade; os que faziam ponto no Vale das Pedrinhas pararam na Rua do Canal, no Rio Vermelho; e os que têm como destino o Nordeste de Amaralina estacionavam na Rua Visconde de Itaborahy, em Amaralina.

Moradora de Amaralina, a secretária Rosilene Oliveira, 39 anos, costuma ir até o final de linha do Nordeste para pegar ônibus. "Pra mim, o transtorno foi menor, porque já moro lá embaixo. Subo porque tenho mais opções. Mas para quem não tinha alternativa, a consequência foi ruim. Três dias tendo que caminhar para chegar até lá", contou ao CORREIO, ao confirmar que os coletivos retornaram nesta segunda.

De acordo com Rosilene, o clima foi de tranquilidade no final de semana. "Tudo normal. Alguns policiais, mas nada demais. Hoje é que eles estão aí desde cedo", acrescentou, se referindo à presença de três viaturas do Batalhão de Choque no local.

Já a dona de casa Ruth Assis, 53, disse que continua se sentindo insegura. "Segurança? Que nada, eu não me sinto segura aqui nem dentro de casa. Os motoristas estão certos de parar. Eu sei que atrapalham muita gente, mas eles vão morrer de graça?", desabafou ela, que é moradora do Nordeste há mais de 30 anos. "Eles voltaram, que bom para quem precisa, mas eu não dou uma semana para acontecer uma coisa aqui de novo", declarou.

No Vale das Pedrinhas, o comércio também funciona normalmente. Não foi notada a presença de policiais e os moradores comemoraram a volta dos ônibus. "Já estava na hora. A gente já tem tanto problema na vida, para até na hora em que precisamos sair para trabalhar passar por esses transtornos de deslocamento. Fica difícil", comentou o estudante de Direito Kevin Duarte, 32, morador do Vale das Pedrinhas.

Para ele, a violência tem ditado regras. "É uma coisa inconcebível. Nos dias de hoje, um transporte público deixa de ser oferecido aos cidadãos e ninguém faz nada", comentou.

Outra interrupção
Na última sexta-feira (27) os ônibus deixaram de circular no final de linha do bairro da Santa Mônica entre 5h20 e 9h20. Durante o intervalo, os coletivos só estavam indo até o Conjunto Bahia, que fica a cerca de 500 metros do ponto final de parada. Os rodoviários alegaram falta de segurança, após a suposta morte de um traficante da região.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas