Operação Faroeste deve ter nova fase e os bastidores da fusão DEM-PSL

alô alô política
24.09.2021, 11:55:00
Atualizado: 24.09.2021, 12:06:26
Foto: Divulgação. 

Operação Faroeste deve ter nova fase e os bastidores da fusão DEM-PSL

Leia a coluna Alô Alô Política  

Natal antecipado 

Esperada para o fim do ano, a Operação Faroeste parece que vai assombrar o judiciário baiano mais cedo em 2021. Rumores nas cortes superiores de Brasília dão conta que o “Papai Noel” resolveu antecipar a sua vinda esse ano. Os agentes da Faroeste chegarão a Bahia entre outubro e novembro. Os “presenteados” serão alguns desembargadores que podem ser afastados ou sofrer até medidas punitivas mais graves.  

Favorito 

Nossas fontes no Tribunal de Justiça da Bahia dão conta que o desembargador Nilson Castelo Branco desponta com muita força na corrida para a presidência do TJBA. O desembargador tem um cabo eleitoral fortíssimo: o primo Humberto Martins. Não, não é o ator da Globo! E sim o ministro Humberto Martins, atual presidente do STJ e Corregedor do CNJ.  

Fusão 

Após sondagens de opinião pública, o superpartido fruto da fusão entre PSL e Democratas vai divulgar o novo número e nome na próxima semana. Atual presidente Nacional do Democratas, ACM Neto passa a ocupar a Secretaria Geral. Já o deputado federal Elmar Nascimento vai ser o líder da nova bancada na Câmara e Paulo Azi o presidente do partido na Bahia. 

Contra Fusão 

O Planalto trabalhou contra a fusão entre PSL e DEM, mas quando viu que era inevitável mudou de estratégia e liberou os ministros Onyx Lorenzoni e Tereza Cristina para votarem a favor da fusão na reunião da Executiva Nacional do DEM. Nomes robustos da República também se empenharam ao máximo essa semana para tentar inviabilizar a criação do superpartido, principalmente Arthur Lira, Ciro Nogueira e Gilberto Kassab. 

Escada de apoio 

O fim das coligações virou um grande dilema para algumas bancadas. Antes, os grandes partidos coligavam e usavam os candidatos dos partidos menores para ajudar na formação do quociente eleitoral. Com a nova regra virou um salve-se quem puder e ninguém quer mais servir de escada. O PSD de Otto, por exemplo, tem hoje sete federais. O prognóstico agora, com o fim das coligações, é que eleja três deputados a menos. As apostas são de que os federais Sérgio Brito, Charles e Gabriel Nunes (que vai tentar o mandato no lugar do pai, Zé Nunes) procurem outros partidos.  

Dilemas 

No PSB, Lídice guerreia com Marcelo Nilo. Apesar de ter mais estrutura política, Nilo não confia em Rui Costa e teme que o governador descarregue “apoio” na campanha da ex-prefeita para derrotá-lo. Dilema semelhante vive o suplente de federal, Paulo Magalhães (PSD). Se abandonar a base, Rui com certeza retorna algum secretário para o Congresso e Paulo Magalhães fica sem mandato. 

Funil apertado 

E no PP, quem sai? Com quatros federais para apenas três prováveis vagas, a aposta é que Mario Negromonte Jr mude de legenda.  É... com o fim das coligações, esse funil está ficando cada vez mais apertado. 

Corda esticada 

O vice-governador João Leão está irredutível, publicamente e nos bastidores, para realizar o seu sonho de ser governador. O desejo dele é que Rui Costa renuncie para disputar o Senado, o que faria Leão governador por oito meses. Interlocutores que andam conversando com o vice disseram que ele não está nada interessado nas propostas feitas até agora, para indicar conselheiro do TCM ou assumir o comando da Assembleia em 2023. As ofertas são avaliadas pela cúpula pepista como migalhas. Leão agora quer o banquete. 

A coluna Alô Alô Política é publicada às sextas, sempre ao meio dia, nos portais CORREIO e Alô Alô Bahia. Também pode ser conferida através do endereço www.aloalopolitica.com e do Instagram @aloalopolitica. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas