Os efes do Plano B

trilhas
14.07.2018, 05:00:00

Os efes do Plano B

Por Aninha Franco

Hoje, há 229 anos, a Bastilha caiu. A Bastilha era, em 1789, a prisão símbolo da monarquia francesa, e sua invasão e libertação dos presos de opinião que estavam lá, inclusive o Marquês de Sade, que na invasão ganhou a liberdade mas perdeu os originais dos 120 de Sodoma, detonaram a Revolução Francesa. A Revolução guilhotinou o rei Luiz XVI, a rainha Maria Antonieta e centenas de nobres em praça pública, exibindo aos espectadores que o sangue dos nobres, como do povo, era vermelho. Sim, o povo achava que o sangue dos nobres era azul e que o rei era escolhido por Deus para mandar prender, matar e explorar aqueles que não pertenciam à nobreza e ao clero. Considero a exibição do sangue vermelho da monarquia e da nobreza na Praça da Concórdia, em 1793, a mais educativa das revoluções ocidentais, menor apenas que a web, que a partir de 1992 expõe o mundo ao mundo, compulsivamente, com ou sem sangue. 

A web que expõe tudo e todos, sem compaixão, nesta semana desmoralizou o vitimismo brasileiro, sugerindo que Neymar não jogou porque caía, rolava e gemia tantas vezes que jogar se tornou inviável. A meme do cair, rolar e gemer com trilha da Aquarela do Brasil foi a exposição do vitimismo brasileiro mais exibível, porque o vitimismo é um esporte nacional, sabemos. O impeachment de Dilma foi golpe e Dilma é vítima dos golpistas, mas o impeachment de Crivella, que deveria ter acontecido quinta-feira, para o PT não seria golpe, seria impeachment. Lula está preso, não porque foi condenado por corrupção, mas porque está sendo perseguido por Sérgio Moro que teve sua sentença impecável quase toda confirmada pelo TRF4. Quase toda porque o Tribunal aumentou a pena que era de nove para doze anos. 

E o lulopetismo não faz outra coisa senão enfrentar as “injustiças” praticadas contra seu “guia” com planos bês que não são bês de Brasil, são bês de PT. Os planos bês do PT, que sempre tem um plano b, é como os dois efes que Gregório de Matos garantiu que estão na palavra Bahia, um furtar e o outro... Aproveitem pra ler esse primor de poema de Gregório de Mattos, onde ele define a sua cidade, para vocês descobrirem qual é o outro efe. 

E como os petistas, os políticos, os integrantes do Poder Judiciário nomeados pelo PT, os funcionários de cargos comissionados são pagos pelo Brasil, mas trabalham exclusivamente para o partido, além de para si mesmos, prepararam mais um lançamento da candidatura Lula, que está inelegível porque é ficha suja, na gincana que assistimos domingo passado. Três deputados petistas e um desembargador que chegou ao cargo nomeado pelo PT, todos encharcados de “judiciário petista”, enfrentaram o Estado de Direito brasileiro com o plano bê de arrancar Lula do cumprimento da pena, ainda que, por algumas horas, para fazer marketing eleitoral vitimista para a campanha...

Ai, ai, ai, ai ai... Cair, rolar e gemer... Se o PT trabalhasse pelo Brasil com a mesma disposição com que trabalha para si mesmo, já teria resolvido os problemas que, na Bahia, só crescem desde que Jaques Wagner tomou posse, em 2007, na segurança pública e na educação. E nem vou falar de turismo e cultura,  que foram exterminados.