Padre deixa paróquia em Santo Amaro após envio de vídeo erótico motivar boicote contra dízimo

bahia
14.02.2022, 21:15:00

Padre deixa paróquia em Santo Amaro após envio de vídeo erótico motivar boicote contra dízimo

Mesmo explicando o envio por engano, o religioso não conseguiu contar com a benevolência de todos os frequentadores da paróquia

O padre Francisco Oliveira, de 45 anos, anunciou, nesta segunda-feira (14), que irá deixar a Paróquia Nossa Senhora da Oliveira, em Oliveira dos Campinhos, distrito de Santo Amaro da Purificação, cidade do Recôncavo baiano. A decisão acontece dias após o religioso encaminhar, por engano, um vídeo erótico para um grupo de fiéis ligados à paróquia. Mesmo tendo explicado o ocorrido, o religioso não conseguiu contar com a benevolência de todos os frequentadores da paróquia. Em uma mensagem nas redes sociais, o padre informou que sua saída é uma resposta ao fato de alguns membros decidirem, em forma de protesto, suspender o pagamento dos dízimos e ajudas para a realização dos festejos religiosos. 

“Estou me retirando da paróquia para prevenção da minha saúde e da própria paróquia, pois está circulando em grupos de WhatsApp falsos comentários a meu respeito e pessoas que não sabem o que significa as palavras sentimentais amor, perdão e compreensão, pessoas baixas, vulgares e amorais, estão tramando contra a paróquia, motivando pessoas a não contribuírem com o dízimo e as ajudas para os festejos paroquiais”, diz o Pe. Francisco. 

Na mensagem, o padre ainda agradece pela amizade construída ao longo dos sete anos em que esteve à frente dos trabalhos daquela comunidade. “Credito que neste tempo procurei fazer o bem. Se fiz algo que não agradou, peço desculpas. Agradeço pelo carinho, acolhida e amizade de todos que são meus verdadeiros amigos. Para aqueles que se diziam meus amigos, mas que na hora que mais precisei viraram-me as costas, só cabe fazer o que nos ensina a palavra de Deus em Mateus 5,44: ‘Amai vossos inimigos e rezai por aqueles que lhe fazem o mal’”, finaliza. 

Entenda o caso
No dia 2 de fevereiro, uma quarta-feira, padre Francisco compartilhou em um grupo formado por membros ativos da paróquia uma vídeo erótico, no qual dois homens mantêm relação sexual. Segundo o padre, ele só percebeu o envio indevido no dia seguinte. A imagem viralizou, gerando revolta contra o padre. 

O religioso afirmou que enviou a mensagem indevidamente por ter problemas de coordenação motora, após ter recebido de outro contato, na tentativa de apagar o vídeo.

“Sou portador de uma comorbidade e não tenho coordenação motora. Recebi muitos vídeos pornográficos. No momento em que apertava a lixeira do aparelho, entrou uma mensagem do grupo da Sagrada Família e o vídeo foi parar no grupo”, explicou à época. 
 

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas