Pai é preso por afogar filho de 2 anos em bacia para fazer ex 'sofrer'

brasil
20.09.2019, 13:00:00
Atualizado: 20.09.2019, 13:42:44

Pai é preso por afogar filho de 2 anos em bacia para fazer ex 'sofrer'

Ele contou a amigo que foi traído pela mãe da criança e queria se vingar

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um pai foi preso na noite de quinta-feira (19) acusado de matar o filho, de apenas 2 anos, em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Evaldo Christyan Dias Zenteno, 21 anos, confessou que afogou a criança em uma bacia dentro de caas porque "queria fazer ela sofrer", em referência à mãe do menino.

De acordo com o G1, Evaldo disse aos policiais que cometeu o crime porque foi traído pela ex-mulher quando estavam juntos. Ele "relatou com frieza" o assassinato do filho, Miguel Henrique dos Reis Zenteno.

Evaldo e o filho Miguel (Foto: Reprodução)

Miguel ainda foi levado para a Santa Casa da cidade, mas os médicos desconfiaram que ele tinha sofrido alguma violência doméstica e acionaram a polícia. Evaldo foi questionado e se contradisse. Chegou a inventar uma história de assalto, seguida por uma de sequestro, e depois confessou. Ele foi preso ainda na unidade médica.

Evaldo contou que ligou para um amigo e contou que tinha sido traído pela mãe de Miguel, uma jovem também de 21 anos. Ele disse que foi o amigo quem sugeriu que ele matasse a criança como maneira de se vingar. Ele alegou que respondeu que não tinha coragem de matar o filho. O amigo sugeriu que ele cometesse o crime com outra pessoa.

Mas Evaldo foi para casa e, sozinho, afogou Miguel em uma bacia. Depois, levou o filho de carro até o hospital e disse que o garoto havia sido sequestrado. Como não tinha dinheiro para pagar o resgate, os bandidos teriam jogado o garoto no rio Anhanduí, onde a criança teria se afogado. Ele repetiu essa versão inicalmente para a polícia.

Miguel morreu uma hora depois de entrar no hospital. A polícia recolheu a roupa que ele usava, a bacia usada no crime e a toalha com a qual Evaldo secou a criança.

Autuado em flagrante por homicídio, Evaldo passa ainda nesta sexta por uma audiência de custódia.

Outro caso
O crime lembra outro, que aconteceu em Londrina, no Paraná, esse mês. Marco Antonio Alves, 45 anos, jogou o carro em que estava com o filho, Matheus Gabriel Kuasne Oliveira, 9, contra um caminhão. Os dois morreram. Antes, ele mandou o garoto gravar um vídeo se despedindo da mãe.

Erika Kuasne chegou a ir até uma delegacia para pedir ajuda, mas não conseguiu evitar a tragédia. O filho e o ex-marido dela morreram no acidente, que aconteceu na tarde do último dia 13, na PR-445.

De acordo com a polícia, Marco não aceitava o fim do relacionamento, que já tinha três anos. Ele pegou o filho do casal e passou horas mandando mensagens ameaçadoras para Erika.

O motorista da carreta contou que o Chevrolet Corsa Classic invadiu a contramão e bateu de frente contra seu veículo. O socorro foi chamado, mas já encontrou pai e filho sem vida.

“Minha decisão foi tomada, não volto atrás. Ia ser você, mas aqui vai doer mais para ti”, diz uma das mensagens que Marco mandou para a ex-mulher. "Vai ser feito para você aprender", diz, elencando em seguida xingamentos contra Erika. "Você não merece nada". Depois, ele pergunta se ela quer ouvir pela última vez a voz do filho. "Adeus, mãe", diz o menino. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas