Pais se queixam de descontos e mantêm negociação com escolas em Salvador

coronavírus
07.05.2020, 10:50:00
Atualizado: 07.05.2020, 14:15:50
No Colégio Antônio Vieira, o desconto linear nas mensalidades de maio, junho e julho será de 15% (Foto: Ascom/CAV)

Pais se queixam de descontos e mantêm negociação com escolas em Salvador

Muitos se queixam de que descontos não acompanham perda; CORREIO listou abatimento em 22 instituições

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A microempresária Rigiane Carvalho perdeu parte da renda e não teve outra opção a não ser cancelar a matrícula da escola que sua filhinha Alice de 5 anos, estuda. Assim como a escola de Alice, o seu studio de micropigmentação também está fechado devido as medidas de isolamento social.

“A única renda da família vem da nossa empresa. Pagávamos mensalidade de 1.250 nos esforçando bastante tentando dar um ensino de qualidade para nossa filha. A escola já tinha me oferecido um desconto de cerca de 23% a 26%, porém como não estamos tendo faturamento, precisei cancelar o contrato enquanto as aulas presenciais não retornam. Não foi cobrada nenhuma multa para cancelar, porém nós não tinhamos condição de manter”, afirma Rigiane.

Nem todos os descontos que as escolas vem oferecendo por conta da pandemia estão acompanhando a redução ou a perda de renda por parte dos pais. Segundo o representante do Grupo pela Valorização da Educação (GVE) -  coletivo que reúne 61 escolas particulares de Salvador, Lauro de Freitas e de outros municípios – Fernando Magalhães, na hora de avaliar os descontos as escolas estão buscando o maior patamar possível.

“Tudo é novo e inédito, mas as escolas têm se esforçado para adequar essa realidade que foi imposta a todos pelo evento pandemia. Nesse sentido, tem se buscado conceder aos pais, descontos compatíveis com a realidade econômica/financeira de todos, escola e família, de cada realidade. As escolas estão visando atender aos alunos, mantendo o ensino de qualidade, a manutenção dos empregos e a satisfação das famílias”, pontua.

No levantamento feito pelo CORREIO junto a pais de estudantes, sites e redes sociais de escolas de Salvador e Região Metropolitana, o abatimento chegou a 50%, como o desconto divulgado  pelo Colégio das Mercês, no Centro. O Colégio Marízia Maior, em Stella Maris e o Helyos (Feira de Santana) supenderam a mensalidade dos cursos de Educação Infantil (veja na lista abaixo). Com relação ao GVE, todas as escolas que integram o coletivo praticaram descontos com uma média de 25%.  Na educação infantil existem casos de instituições que deram 35% de abatimento.

“O nosso diálogo com as nossas famílias é permanente e muito franco e aberto. Por certo podem ocorrer casos de alguma insatisfação, até mesmo em face do impacto financeiro negativo gerado pelo evento pandemia para algumas famílias. Então a ordem, o objetivo, é dialogar, dialogar e dialogar, para com isso encontrarmos caminhos, construirmos soluções, que atendam a todos”, completa.

Negociações continuam

E os pais seguem buscando este canal de comunicação com a escola em busca de acordos. A advogada Márcia Verônica Sampaio tem um filho matriculado no 3º ano do Ensino Médio do Colégio Antônio Vieira, que divulgou ontem um abatimento linear de 15%, após anunciar na última quinta-feira (30), a criação de um fórum virtual para debater o assunto com os pais.

“Os pais foram se mobilizando em grupos de Whatsapp e eu fui uma das indicadas para participar das reuniões que a escola faria por vídeo conferência para discutir estas demandas. O que vários pais estavam questionando não era só o desconto mas a maneira como o processo estava sendo conduzido, quando pediu que apresentássemos contra-cheque e preenchesse um questionário que perguntava se tínhamos carro ou empregada em casa, muito parecido com o de solicitação de bolsa. Mas nós não estávamos pedindo bolsa, mas sim um desconto. A angustia dos pais era que não houvesse um desconto diferente, mas um mesmo abatimento para todos”.

Márcia paga R$ 2,4 mil pelo valor da mensalidade e conta que chegou a ficar surpresa com o desconto que não considera o suficiente visto que perdeu uma parte significativa da renda, porém que os 15% já é uma ajuda. “Eu estava convencida de que não haveria desconto nenhum. O que conseguimos foi um reflexo da insatisfação de todos. A gente precisa que as escolas abrace os pais nesse momento em que todos estão perdendo. O ideal seria 50%, mas também não vi nenhuma instituição chegar a este percentual”.

Em nota, o Colégio Antônio Vieira, que integra a Rede Jesuíta de Educação (RJE), disse que realizou quatro rodadas de diálogo com representantes das famílias de alunos de todas as turmas sobre questões pedagógicas e financeiras relacionadas com a suspensão das aulas presenciais para chegar a este percentual linear de 15%.

O abatimento vai incidir sobre os pagamentos dos meses de maio, junho e julho. A análise caso a caso vai ser realizada apenas para os situações mais graves. A escola afirmou ainda que vai tentar preservar, ao máximo, os empregos e salários dos colaboradores. 

Leia também: Aulas online na pandemia: Veja por que a escola não vai ser mais a mesma

“São tempos desafiadores para os quais não se tem referências anteriores e, mesmo estando distantes fisicamente, é importante seguirmos juntos nessas reflexões, aprendendo juntos e buscando soluções ", pontuou a diretora geral do Vieira, professora Mariângela Risério.

Localizado no bairro do Garcia, o Vieira tem, atualmente, 3,5 mil alunos.”  Estamos sempre pensando em oferecer o melhor para o aluno, fortalecendo essa escola que tanto acreditamos”, completou a diretora.

22 ESCOLAS QUE ABATERAM SUAS MENSALIDADES NA PANDEMIA

1. Escola Casa da Infância (Pituba) A instituição de ensino ofereceu aos pais um desconto de 12% a 30%. 

2. Colégio Perfil (Lauro de Freitas) Na Educação Infantil o desconto é de 25%. Para as turmas de Ensino Fundamental de 15% a 20% e nas turmas do Ensino Médio, 15%. 

3. Escola Kurumi (Federação)  O abatimento no valor das mensalidades é de 20%.

4. Colégio Montessoriano (Boca do Rio)  A escola concedeu 30% para Educação Infantil e 20% no Ensino Fundamental e Médio para adimplentes.

5. Colégio Antônio  Vieira (Garcia) O Vieira vai aplicar um desconto linear de 15% sobre as mensalidades. O percentual vai incidir sobre os pagamentos dos meses de maio, junho e julho. 

6. Colégio Marizia Maior (Stella Maris) A escola suspendeu o pagamento das mensalidades dos alunos da Educação Infantil (turmas do Grupo 3 ao Grupo 5). Não foram definidos percentuais de descontos para o Ensino Fundamental e Médio, porém a direção se mostrou aberta a fazer negociações de extensão de prazos e parcelamentos para os pais que tiveram perda de renda ou ficaram desempregados por conta da pandemia. 

7. Escola Cresça e Apareça (Rio Vermelho)  O desconto é de  30% na mensalidade escolar enquanto as aulas permanecerem a distância.

8. Colégio Helyos (Feira de Santana) Suspensão do pagamento das mensalidades para alunos do Grupo 2 ao 1º Ano. Não houve abatimento nas mensalidades das demais turmas. 

9. Escola Nova Nossa Infância (Pituba) Para as mensalidades de maio, o desconto é de 20% para todos os estudantes do G1 ao G10.

10. Escola Gênesis (Costa Azul) O desconto estabelecido é de 30%, a partir do dia 1º de maio até o encerramento do distanciamento social. 

11. Escola Experimental (Vila Laura) O desconto é de 20% para os alunos do Grupo 1 ao 5º ano e tem validade até o retorno das aulas presenciais. 

12. Gira Girou (Pituba) O abatimento ofertado pela instituição de ensino é de 30% para as turmas Berçário e Ciclo I e 20% para os Ciclos II e II mais o Ensino Fundamental. 

13. Escola Panamericana (Patamares) A escola deu 15% de abatimento no valor das mensalidades.

14. Sacramentinas (Garcia)  O desconto é de 20% para os meses de maio e junho. 

15. Colégio Oficina (Pituba) O abatimento dado é de 25% na parcela do mês de maio. A escola possibilita também o parcelamento das mensalidades em atraso em até seis vezes no cartão de credito sem cobrança de juros ou multas. 

16. Colégio Nossa Senhora das Mercês (Centro) A instituição de ensino está concedendo 50% de desconto sobre o valor integral das mensalidades para todos os alunos até o retorno das aulas presenciais. 

17. Colégio Anchieta (Pituba/ Itaigara) Conforme o comunicado publicado no site da instituição os alunos da Educação Infantil terão 30%  de desconto; turmas do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental, 25%  e os alunos 1ª à 3ª série do Ensino Médio (com pré-vestibular), 20%. 

18. Colégio São Paulo (Itaigara) Como o colégio faz parte da mesma rede que o Anchieta permanece a mesma orientação para os descontos: Educação Infantil (30%), 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental (25%) e 1ª à 3ª série do Ensino Médio (20%). 

19. Colégio Resgate São Lázaro (Cabula) No site da instituição, a escola informa que os descontos serão de 30% para as turmas de Educação Infantil, + desconto de 5%, igual a 35% até a data do vencimento. Os alunos do Fundamental I terão descontos de 25% + desconto de 5%, somando 30% também para pagamento na data de vencimento. Fundamental II e Ensino Médio 20% e 15%, respectivamente + 5% para pagamento em dia. 

20. Escola Patamares (Patamares)  O desconto concedido aos pais é de 30% sobre o valor integral das mensalidades  a partir deste mês e é válido enquanto as aulas presenciais permanecerem suspensas. 

21. Escola Girassol (Itaigara) O valor do desconto varia entre 15% a 30%, dependendo da série da criança. Ensino fundamental foi de 15%; Grupos 1,2 e 3 de 30%; e os Grupos 4 e 5 foi 20%. E escola também ressalta que serão feitas análises em casos individuais e que, a depender da situação, o a diminuição da mensalidade pode ser ainda maior.

22. Colégio Mendel Vilas  (Vilas do Atlântico) No site da instituição consta o desconto de 35% para as turmas do Grupo 2 ao 5 da Educação Infantil. Alunos do 1º ao 5º Ano do Ensino Fundamental, 30% e do 6º do Ensino Fundamental II à 3ª Série do Ensino Médio, o abatimento é de 25%. Os descontos não são cumulativos.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas