'Perdi minha vida', diz mulher que denunciou estupro de líder religioso na Bahia

bahia
03.08.2020, 08:34:08
Atualizado: 03.08.2020, 09:02:28

'Perdi minha vida', diz mulher que denunciou estupro de líder religioso na Bahia

Tércio Cunha Costa teria abusado, ao menos, 14 mulheres; ele nega

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Foram, ao menos, 14 mulheres que denunciaram o líder religioso e ex-grão-mestre e uma loja maçônica na Bahia, Jair Tércio Cunha Costa, por abusos sexuais e psicológicos. Uma dessas é a pedagoga Tatiana de Amorim Badaró, que namorava um jovem que frequentava os encontros. Em entrevista ao Fantástico, da TV Globo, ela conta que buscou amparo emocional na doutrina após ficar grávida.

"Ele se aproveitou de um momento de extrema fragilidade, eu grávida aos 16 anos. precisando de apoio. A partir daí eu perdi minha vida", disse a pedagoga.

Tatiana foi a primeira mulher a denunciar o crime que diz ter sofrido de Jair Tércio, por 12 anos, entre 2002 e 2014. Ela também disse que o líder chegava a impor a profissão dela.

(Foto: Reprodução/TV Globo)

"Eu não pude escolher profissão, ele determinou que era pedagogia. Eu fui obrigada a trabalhar na escola que ele fundou. Me afastei de minha mãe por ordem dele, tive que mudar celular, apagar e-mail e criar outro e-mail para que ninguém da minha vida tivesse contato comigo", revelou ao Fantástico.

"Todo tempo um terrorismo psicológico, uma ameaça de retaliação espiritual. Porque ele nunca diz que ele vai fazer, ele diz que a espiritualidade vai resolver, a 'espiritualidade vai te cobrar, porque você teve a chance de viver perto de um iluminado e não aceitou'", disse, ao Fantástico, a pedagoga.

Já os estupros teriam começado quando ela foi convidada a preparar uma palestra na casa de Jair Tércio.

"Ele disse que precisava equilibrar minha energia. Na primeira noite foi só isso, na semana seguinte passou a mão em mim dizendo que tava equilibrando meus chacras e na seguinte ele penetrou dizendo que precisava jogar a energia dele dentro de mim", contou Tatiana.

"Eu me sentia péssima. Eu chegava em casa e vomitava e com isso eu me afastei mais ainda de todo mundo. Inclusive das pessoas da seita, porque ele fala que ninguém é confiável, que a gente só pode confiar nele", contou Tatiana.

A denunciante disse também que Jair Tércio criava intrigas. Após os abusos, Tatiana entrou em depressão e engordou 20 kg ao receber uma carta do guru, onde ele revelava que Vi, pai do filho dela, não sentia mais desejo pela companheira.

A denúncia só foi feita ao grupo As Justiceiras após ela descobrir que outras mulheres passaram pela mesma situação. Tatiana afirmou que sofreu ameaças anônimas depois de fazer a denúncia.

A promotora do Ministério Público da Bahia (MP-BA) responsável pelo caso, Gabriella Manssur, afirmou que a maior dificuldade nesses casos é de comprovar os atos. "Mas se nos conseguimos reunir vários depoimentos, há provas de que esses fatos ocorreram".

"São vitimas mulheres, muitas meninas, e o que mais chama atenção é que esses abusos ocorrem por um longo período, se prolongam no tempo, fazendo com que elas entendam que aquilo faz parte de um ritual, de um tratamento", disse a promotora.

Outra vítima, que não quis revelar a identidade, disse que não conseguiu se defender das ações. "Ele me tocou. Tocou nos meus seios, me masturbou, mandou me virar. Aquilo foi me deixando estática e ele foi fazendo, foi me molestando, foi mexendo em mim", revelou.

'Consensual'
O advogado do suspeito, Fabiano Pimentel, nega os estupros. Segundo ele, "por ser uma pessoa solteira, um homem solteiro, o líder teve alguns relacionamentos amorosos, mas que em nenhum momento houve qualquer tipo de violência seja psicológica ou física a ensejar qualquer tipo de crime de estupro ou importunação nesse sentido".

A Grande Loja Maçônica da Bahia disse, em nota, que suspendeu os direitos maçônicos de Jair Tércio. "A maçonaria não tem responsabilidade nenhuma com relação aos atos dessa pessoa".

Adolescente
Em boletim de ocorrência registrado em Salvador, o MP-BA investiga um telefonema onde aparecem as vozes de Jair Tércio e a de uma menor de idade. No diálogo, a adolescente pergunta ao homem se ele tirou a virgindade dela. Ele nega e diz: "Comigo não é relação, não. Comigo foi carinho, foi amor".

Na sequência, a adolescente diz que a mãe dela vai levá-la ao ginecologista e ele pede para que ela evitasse. "Você não vai. Esqueça isso, minha filha. Pelo amor de Deus, viu?", disse.

O advogado de Jair Tércio afirma que o guru nega qualquer tipo de envolvimento em relação a menores ou estupro de vulneráveis.

Fundação Ocidemnte
Em nota, a Fundação Ocidenmte, onde Jair Tércio atuou até 2017, disse em nota que não possui não possui mais nenhuma relação com o líder. Leia o comunicado completo.

A Fundação OCIDEMNTE é uma organização científica de caráter educativo, não sectária e sem fins lucrativos, que tem como missão educar cidadãos e auxiliá-los em sua formação integral e humanística. Fundada em 1984, em Salvador, teve entre seus idealizadores o educador Jair Tércio Cunha Costa, que, desde o ano de 2017, não exerce mais nenhuma função ou atividade na instituição, e nem em suas unidades parceiras. 

Cabe esclarecer que a Fundação OCIDEMNTE não é, e nunca foi, uma organização religiosa. Ela estimula o desenvolvimento humano, através de processos de ensino-aprendizagem-sentimento, pesquisas e extensão que incluem Meditação, Consciência e Autoconhecimento, sem qualquer tipo de conotação religiosa ou vínculo com instituições com este perfil. Inclusive, acolhe em suas atividades pessoas de todos os tipos de crenças, credos, etnias e classes sociais.

Em 36 anos de atuação, o corpo diretivo da Fundação nunca recebeu nenhuma reclamação direcionada a qualquer um dos seus membros. Reiteramos que somos contra qualquer ação que fira a dignidade humana. Nosso compromisso com a educação e a formação integral é sempre pautado em valores como ética e transparência. Estamos à disposição da justiça para colaborar no que for necessário para a devida apuração e esclarecimento dos fatos. 

Instituto de Educação Superior OCIDEMNTE (ISEO) - Por meio do Instituto de Educação Superior – ISEO, a Fundação oferece cursos de graduação, pós-graduação, extensão, sensibilização, formação e capacitação; e realiza eventos científicos internacionais, contribuindo efetivamente com a formação de milhares de pessoas. O ISEO é reconhecido pelo Ministério da Educação e prestigiado por organismos internacionais como a Organização das Américas para a Excelência Educativa (ODAEE).  Nunca houve qualquer registro formal de casos ou denúncia de abusos de qualquer natureza, no âmbito do Instituto. Nem de qualquer ação negativa que possa desabonar o legado que o ISEO vem construindo ao longo dos 14 anos de atuação na Bahia.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas