Petrobras conclui venda da refinaria  na Bahia

economia
01.12.2021, 00:15:07
Atualizado: 01.12.2021, 00:21:45
(Unidade foi negociada por US$ 1,8 bilhão (R$ 10,1 bilhões) (foto: Arquivo))

Petrobras conclui venda da refinaria  na Bahia

Grupo árabe assume operação da unidade a partir dessa quarta (1/12)

A  Refinaria Landulpho Alves (RLAM), em São Francisco do Conde, na Região Metropolitana de Salvador, amanhece hoje  sob comando da Acelen, empresa criada pelo Mubadala Capital para a operação da unidade. Ontem, a Petrobras anunciou a conclusão da venda da refinaria para o Mubadala, fundo de investimento dos Emirados Árabes. Anunciou também que o empreendimento agora passa a se chamar  Refinaria de Mataripe.


Segundo a estatal brasileira, o fundo árabe, após o cumprimento de todas as condições precedentes, cumpriu a última etapa da negociação pagando o valor de US$ 1,8 bilhão (R$ 10,1 bilhões) para a Petrobras, valor que reflete o preço de compra de US$ 1,65 bilhão, ajustado preliminarmente em função de correção monetária e das variações no capital de giro, dívida líquida e investimentos até o fechamento da transação. O contrato ainda prevê um ajuste final do preço de aquisição, que se espera seja apurado nos próximos meses. A refinaria baiana é a primeira dentre as oito que estão sendo vendidas pela Petrobras a ter o processo finalizado.


Para o presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, a conclusão da venda reflete a importância da gestão de portfólio e fortalece a estratégia da companhia. “Esta venda é um marco importante para a Petrobras e o setor de combustíveis no país. Acreditamos que, com novas empresas atuando no refino, o mercado será mais competitivo e teremos mais investimentos, o que tende a fortalecer a economia e gerar benefícios para a sociedade", avaliou. "Do ponto de vista da companhia, é um avanço na sua estratégia de realocação de recursos. No segmento de refino, a Petrobras vai se concentrar em cinco refinarias no Sudeste”, complementou. 

Oscar Fahlgren é presidente do Mudabala Capital no Brasil


Já o presidente do Mubadala Capital no Brasil, Oscar Fahlgren, afirmou:

 “a nossa prioridade é garantir excelência na produção e operação da refinaria, além de uma transição estruturada, serena e sem ruptura. É criar valor com atenção especial às pessoas e ao meio ambiente. Enfatizamos sempre o compromisso de longo prazo que temos com o país e as regiões onde atuamos. Este é certamente um dos objetivos da Acelen”.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas