Podcast relembra os últimos 40 anos de música baiana

podcast
20.11.2019, 05:00:00
Atualizado: 08.01.2020, 19:23:42

Podcast relembra os últimos 40 anos de música baiana

Especial do CORREIO fala das origens e consequências da axé music, além dos novos artistas da nossa música

O Correio oferece acesso livre a todas as notícias relacionadas ao coronavírus. Entendemos que informação séria e confiável é importante nesse momento. Colabore para que isso continue. Assine o Correio.


Assim como a Bahia, a música produzida por aqui mudou muito nos últimos 40 anos. Em seus 40 anos de existência, o CORREIO viu acordes, batidas e levadas se transformarem e transformarem a vida no nosso estado e, por que não, no país. 

Como parte das comemorações das quatro décadas de fundação do jornal, o CORREIO apresenta o podcast 40 Anos de Música Baiana, dividido em duas partes, ambas disponíveis abaixo e, em breve, em plataformas como Spotify, iTunes e Google Podcasts. 

Na primeira parte, o jornalista e crítico musical Hagamenon Brito faz um panorama da música produzida na Bahia desde o final da década de 70 até os tempos atuais. Criador do termo ‘axé music’, o jornalista conta como o movimento, que tem como marco inicial a música Fricote, de Luiz Caldas, transformou a cultura baiana. “O axé desloca o eixo de produção do Rio-São Paulo, faz uma música própria, cria uma indústria própria, cria estúdios, é uma pequena revolução”, analisa. 

Confira as duas partes do podcast:

Carlinhos Brown, um dos artistas mais citados na gravação, já usou o mesmo termo para definir a importância da axé music. “Talvez não se tenha uma noção exata do tipo de revolução que nós fizemos. Nesses 40 anos, o melhor de tudo é que isso deu continuidade a outros conceitos de movimento no Brasil”, afirmou ao CORREIO, em agosto.

O próprio Luiz Caldas relembrou ao CORREIO, em fevereiro, como foi o início da axé music. “A diversidade musical era maior. Eram muitos artistas, cada um fazendo seu estilo, a seu gosto. Não é como hoje, que um faz algo e dez imitam. Isso é algo que pode ser que eu tenha um pouco de saudade, de nostalgia, mas não dá pra deixar as coisas pararem”, contou.

Hagamenon também conta como previu a decadência da axé music e opina sobre os principais expoentes da nova música produzida na Bahia, além de dizer qual seu top 5 de artistas locais nessas últimas quatro décadas.

Já o jornalista Osmar ‘Marrom’ Martins, referência quando se fala de Carnaval, conta como viveu a cobertura do início do movimento da axé music e como viu os artistas baianos virarem estrelas nacionais da música. “O axé criou uma geração de produtores e empresários top de linha. Eu viajo pelo mundo, vejo festivais e eventos que a gente não deve nada a ninguém em termos de organização”, conta. 

O jornalista ainda conta alguns bastidores da nossa música, como o dia em que um Gilberto Gil ainda se recuperando de doença não resistiu a um dos acordes mais famosos do pagode baiano e se levantou para dançar.

O podcast faz parte das comemorações dos 40 anos do Correio*, que teve como celebração principal à nossa música o show CORREIO e Carlinhos Brown - Um Show de 40 Anos, no mês de agosto, com renda revertida para o Instituto de Cegos da Bahia (ICB), projeto apoiado por Brown há dois anos.

*O projeto Correio 40 Anos tem oferecimento do Bradesco, patrocínio do Hapvida e Sotero Ambiental, apoio institucional Prefeitura de Salvador, e apoio de Vinci Airports, Sesi, Salvador Shopping, Unijorge, Claro, Itaipava Arena Fonte Nova, Sebrae e Santa Casa da Bahia.


***

O CORREIO entende a preocupação diante da pandemia do novo coronavírus e que a necessidade de informação profissional nesse momento é vital para ajudar a população. Por isso, desde o dia 16 de março, decidimos abrir o conteúdo das reportagens relacionadas à pandemia também para não assinantes. O CORREIO está fazendo um serviço de excelência para te manter a par de todos os últimos acontecimentos com notícias bem apuradas da Bahia, Brasil e Mundo. Colabore para que isso continue sendo feito da melhor forma possível. Assine o jornal.


Relacionadas
Correio.play
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/surto-de-lives-na-quarentena-transmissoes-ao-vivo-se-tornaram-comuns-e-ate-memes/
Confira também uma lista de perfis para acompanhar os 'ao vivo'
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/autor-de-video-compartilhado-por-bolsonaro-pode-pegar-6-meses-de-prisao/
Gravação trazia informações falsas sobre desabastecimento de alimentos
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/abner-pinheiro-publica-foto-com-bebe-nunca-vou-desistir-de-voce/
Briga após influencer baiano descobrir que não é o pai de sangue de bebê foi o assunto mais comentado nas redes sociais
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/apos-polemica-com-teste-de-dna-e-traicoes-sthe-vai-processar-abner/
Briga após influencer baiano descobrir que não é o pai de sangue de bebê foi o assunto mais comentado nas redes sociais
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/em-live-com-miley-cyrus-anitta-e-chamada-de-icone-pop-brasileiro/
Cantoras conversaram via Instagram e dançaram Rave de Favela
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/ajustes-deixaram-a-ranger-mais-competitiva/
Em vídeo, Antônio Meira Jr., explica o que mudou na picape da Ford
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/apos-teste-de-dna-e-traicoes-abner-e-sthe-ganham-mais-de-16-mi-de-seguidores/
Treta após baiano descobrir que não é o pai de sangue de bebê foi o assunto mais comentado do mundo nas redes sociais
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/baco-exu-do-blues-lanca-ep-contra-o-tedio-da-quarentena/
Preso em casa, artista produziu nove faixas em três dias
Ler Mais