Polícia conclui inquérito e médica é indiciada por homicídios triplamente qualificados

salvador
18.10.2013, 19:23:00

Polícia conclui inquérito e médica é indiciada por homicídios triplamente qualificados

A polícia ainda aguarda a conclusão de quatro laudos técnicos

Da Redação*
Atualizada às 20h

O inquérito policial que indicia a médica Kátia Vargas Leal Pereira por duplo homicídio triplamente qualificados foi concluído pela Polícia Civil nesta sexta-feira (18) e enviado ao Ministério Público. Agora, o MP-BA terá 5 dias para decidir se aceita as acusações e apresentar a denúncia contra a médica. O promotor Davi Gallo já havia indicado a intenção de denunciar a suspeita, acusada de provocar a colisão que matou os irmãos Emanuel e Emanuelle Gomes, de 21 e 23 anos, em Ondina.

O promotor já havia adiantando que a médica será denunciada pelo Ministério Público do Estado da Bahia por homicídio qualificado por motivo torpe (intenção de vingança), por colocar a vida de terceiros em perigo e pela impossibilidade de defesa das vítimas, que estavam de costas para a médica e com um veículo de menor porte.  

A delegada Jussara Souza, da 7ª Delegacia (Rio Vermelho), informou que o inquérito tem pouco menos de 100 páginas e ouviu 8 testemunhas. O marido da médica não prestou depoimento - segundo a polícia, ele não foi convocado e não tinha obrigação de ir, embora pudesse ter se apresentado se tivesse interesse.

A polícia ainda aguarda a conclusão de quatro laudos técnicos - o da perícia do local, o de mecânica no carro, um de tratamento das imagens de câmeras que flagraram a situação e por fim o laudo cadavérico. Todos estes laudos devem ficar prontos em um prazo de 30 dias, contados a partir da data da morte das vítimas.

Não existe previsão de colher o depoimento de mais nenhuma pessoa, informou a delegada.

A médica já está presa preventivamente no Conjunto Penal Feminino, em Mata Escura. A reportagem não conseguiu contato com o advogado dela, Vivaldo Amaral, para saber os próximos passos da defesa.

Fontes ligadas à Penitenciária Lemos Brito relataram que Kátia ficará isolada por questão de segurança, já que outras detentas estariam revoltadas com seu crime. O conjunto feminino tem, hoje, um excedente de 96 detentas.


Kátia Vargas deixou Hospital Aliança na quinta-feira em viatura da Polícia Civil (Foto: Jurimar Soares)

Leia também:
Médica Kátia Vargas deixa Hospital Aliança em viatura da Polícia Civil
MP pede que perito avalie saúde de médica envolvida em acidente que matou irmãos
"Eu peço que ela reflita sobre o que ela fez", desabafa mãe de irmãos mortos em Ondina
"Eles eram muito ligados", diz tia de irmãos mortos em Ondina 
Médica envolvida em acidente que matou irmãos está sob custódia em hospital
C
asal de irmãos morre ao bater contra poste em frente a hotel em Ondina

Médica sempre foi tranquila, dizem conhecidos e paciente
Desde o acidente, que completa hoje uma semana, amigos de Kátia Vargas Pereira a defendem, principalmente nas redes sociais. Além de trabalhar como oftalmologista em clínicas particulares, ela fazia trabalhos voluntários na Cidade da Luz, complexo social fundado pelo médium José Medrado. De acordo com Renato Gomes, diretor administrativo-financeiro da Cidade da Luz, Kátia já atendia, gratuitamente, em seu consultório particular, pacientes excedentes da Cidade da Luz.

“Sempre atendeu prontamente as pessoas que procuravam serviço na Cidade da Luz”, disse. Apesar de ter pouco contato com a médica, ele a considera uma pessoa “tranquila”.

O conselheiro do complexo, Antônio Carlos Souza, disse que Kátia se ofereceu, há sete anos, para o voluntariado. A última vez que a médica foi ao local foi na quinta-feira (10), um dia antes do acidente.


* Com informações da repórter Thais Borges

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas