Polícia estuda colocar Neymar e Najila frente a frente

ba-vi
07.06.2019, 17:52:00
Atualizado: 07.06.2019, 18:29:34
(Fotos: Evaristo Sa/AFP e Reprodução/TV Record)

Polícia estuda colocar Neymar e Najila frente a frente

Objetivo é eliminar incongruências que existem nos depoimentos dos dois

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A Polícia Civil de São Paulo considera a possibilidade de uma acareação entre Neymar e a modelo Najila Trindade, que acusa o atacante de agressão e estupro. O objetivo é eliminar incongruências que existem nos depoimentos dos dois sobre o vazamento de diálogos e fotos íntimas na semana passada. 

O atacante divulgou mensagens privadas trocadas entre os dois na tentativa de provar sua inocência da acusação de estupro, que teria sido cometido em Paris, no dia 15 de maio, de acordo com a modelo. 

Najila Trindade presta depoimento à 6ª Delegacia de Defesa de Mulher, em Santo Amaro, na zona Sul de São Paulo, nesta sexta-feira. Após não atender a quatro intimações anteriores, Najila chegou por volta das 11h55 e está respondendo às dúvidas da delegada Juliana Bussacos e também dos investigadores da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), no Rio de Janeiro. 

Um dos questionamentos dos investigadores se refere ao laudo médico particular apresentado pela modelo para comprovar as agressões que teria sofrido de Neymar. O médico Luiz Eduardo Campedelli, que assina o laudo, registrou "arranhaduras, hematomas em absorção e estrias em região de ambos os glúteos". 

A avaliação foi feita no dia 21 de maio, seis dias após o suposto estupro. O médico afirmou que seu laudo não continha imagens. Mas Najila apresentou fotos das escoriações juntamente com o laudo. Se for comprovada a adulteração, a modelo pode ter de responder por fraude processual. 

Além de Najila, também será ouvida a profissional responsável pela limpeza do apartamento onde ela morava. Os investigadores questionam a funcionária sobre uma possível tentativa de arrombamento que teria acontecido no apartamento de Najila na noite de terça-feira. Esse teria sido o motivo que Najila utilizou para não comparecer à intimação na quarta-feira.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas